Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

O fim da quimioterapia tóxica? Bloqueio de vitamina B-2 pode parar o câncer

Nova pesquisa publicada na revista encontra um composto que impede que as células cancerígenas se espalhem, privando-as da vitamina B-2. As descobertas podem revolucionar a quimioterapia tradicional.

mulher esperançosa paciente de quimioterapia, olhando pela janela

Uma equipe de pesquisadores britânicos decidiu encontrar um agente terapêutico não tóxico que atinja as mitocôndrias das células cancerosas.

As mitocôndrias são organelas produtoras de energia encontradas dentro de cada célula. O composto encontrado recentemente pelos cientistas pode impedir que as células cancerígenas proliferam, interferindo com o processo de criação de energia dentro da mitocôndria.

A equipe foi liderada pelo professor Michael Lisanti, diretor de medicina translacional da Universidade de Salford, no Reino Unido, e o novo estudo pode ser acessado aqui.

Células cancerosas famintas de energia

Lisanti e seus colegas usaram a triagem de drogas para identificar o composto, que é chamado cloreto de difenilenodônio (DPI).

Como os pesquisadores explicam, vários ensaios celulares e outros experimentos em cultura celular revelaram que o DPI reduziu mais de 90% da energia produzida nas mitocôndrias das células.

DPI conseguiu isso bloqueando a vitamina B-2 – também conhecida como riboflavina – que esgotou as células de energia.

“Nossa observação é que o DPI está atacando seletivamente as células-tronco do câncer, criando efetivamente uma deficiência de vitamina […]. Em outras palavras, desligando a produção de energia nas células-tronco cancerígenas, estamos criando um processo de hibernação”.

Prof. Michael Lisanti

As células-tronco cancerígenas são as que produzem o tumor. “É extraordinário”, continua o professor Lisanti, “as células apenas ficam lá como se estivessem em estado de animação suspensa”.

É importante ressaltar que o DPI provou ser não-tóxico para as chamadas células cancerígenas “em massa”, que em geral são consideradas não-tumorigênicas.

Isso sugere que o composto pode ser bem sucedido quando a quimioterapia atual falhar. A equipe explica que “o tratamento com DPI pode ser usado para conferir agudamente um fenótipo deficiente em mitocôndrias, o qual mostramos que efetivamente depleta [células cancerosas semelhantes a caules] da população heterogênea de células cancerígenas”.

“Essas descobertas têm implicações terapêuticas significativas para o direcionamento potente de células cancerígenas, minimizando os efeitos colaterais tóxicos”, acrescentam.

Uma nova era de quimioterapia?

“Acreditamos”, dizem os cientistas, “que o DPI é um dos inibidores mais potentes e altamente seletivos descobertos até o momento.”

Os resultados são particularmente significativos, dada a extrema necessidade de terapias contra o câncer não-tóxico e os efeitos colaterais graves da quimioterapia convencional.

“A beleza de [DPI] é que [torna] as células-tronco cancerosas metabolicamente inflexíveis, de modo que elas sejam altamente suscetíveis a muitas outras drogas”, explica o professor Lisanti.

A coautora do estudo Prof. Federica Sotgia também comenta sobre a significância das recentes descobertas, dizendo: “Em termos de quimioterapia para o câncer, claramente precisamos de algo melhor do que temos atualmente, e esperamos que seja o começo de uma abordagem alternativa”. para parar as células-tronco do câncer “.

De fato, os autores se especializam em encontrar terapias alternativas e não-tóxicas, e esperam que suas descobertas mais recentes possam marcar o início de uma nova era de quimioterapia – talvez uma que use moléculas não-tóxicas para atingir a atividade mitocondrial do câncer. como as células.

Os pesquisadores propõem chamar essas novas moléculas de “mitoflavoscinas”.

Like this post? Please share to your friends: