Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

Narcolepsia: causas, sintomas e tratamentos

A narcolepsia é um distúrbio neurológico crônico que afeta o controle do sono e da vigília. Causa sono noturno fragmentado e sonolência diurna excessiva.

Também apresenta sono anormal nos movimentos oculares rápidos (REM) e pode envolver cataplexia, ataques breves de fraqueza muscular e tônus ​​que podem levar ao colapso corporal.

A narcolepsia pode variar em gravidade de leve a grave. Em casos graves, pode afetar negativamente as atividades sociais, a escola, o trabalho e a saúde e o bem-estar geral. Uma pessoa com narcolepsia pode adormecer a qualquer momento, por exemplo, enquanto fala ou dirige.

Os sintomas tendem a aparecer na adolescência, ou nos vinte e poucos anos e trinta e poucos anos. Homens e mulheres são igualmente suscetíveis, e acredita-se que afeta de 135.000 a 200.000 pessoas nos Estados Unidos a qualquer momento.

Fatos rápidos sobre a narcolepsia

Aqui estão alguns pontos importantes sobre a narcolepsia. Mais detalhes estão no artigo principal.

  • Cerca de 1 em 2.000 pessoas nos Estados Unidos têm narcolepsia.
  • Os principais sintomas são sonolência diurna excessiva e sono anormal nos movimentos rápidos dos olhos (REM).
  • A narcolepsia é a segunda principal causa de sonolência diurna excessiva após a apneia obstrutiva do sono.
  • Os sintomas geralmente começam entre as idades de 10 e 30 anos.
  • A narcolepsia pode ser tratada com medicamentos e ajustes no estilo de vida.

O que é narcolepsia?

Uma pessoa com narcolepsia

A narcolepsia é considerada uma hipersonia, ou um distúrbio do sono caracterizado por sonolência diurna excessiva.

Em um ciclo de sono típico, uma pessoa entra no estágio inicial do sono, seguida por estágios mais profundos do sono por 90 minutos, onde finalmente ocorre o sono REM.

Para pessoas com narcolepsia, o sono REM ocorre em 15 minutos no ciclo do sono e intermitentemente durante as horas de vigília. É no sono REM que ocorrem sonhos e paralisia muscular.

Existem três tipos de narcolepsia:

  • Tipo 1: Narcolepsia com cataplexia
  • Tipo 2: Narcolepsia sem cataplexia, que envolve principalmente sonolência diurna excessiva
  • Narcolepsia secundária: Isso pode resultar de uma lesão no hipotálamo, uma parte do cérebro envolvida no sono.

Causas

A causa exata é desconhecida, mas a narcolepsia pode ser uma doença auto-imune hereditária que leva a uma deficiência de hipocretina ou orexina, uma substância química que o cérebro precisa para ficar acordado. Pode haver uma disposição genética, o que significa que é executado em famílias.

A hipocretina é um neurotransmissor, um químico de sinalização nervosa. Ele controla se estamos dormindo ou acordados agindo em diferentes grupos de células nervosas, ou neurônios no cérebro. É feito na região do hipotálamo do cérebro.

A maioria das pessoas com narcolepsia tipo 1 tem baixos níveis desse hormônio, mas aqueles com tipo 2 não.

A hipocretina é necessária para nos ajudar a ficar acordados. Quando não está disponível, o cérebro permite que os fenômenos do sono REM interfiram nos períodos normais de vigília. Como resultado, as pessoas com narcolepsia sentem tanto sonolência diurna excessiva quanto problemas noturnos de sono.

Em um distúrbio auto-imune, o sistema imunológico do corpo se ataca erroneamente e combate as células saudáveis ​​como se fossem invasores estrangeiros. Outras doenças auto-imunes incluem artrite reumatóide, diabetes tipo 1 e doença celíaca.

Uma lesão cerebral, tumor ou outra doença que afeta o cérebro pode levar à narcolepsia.

Sintomas

O sintoma característico da narcolepsia é a sonolência diurna excessiva (SDE). Sintomas adicionais podem incluir cataplexia, alucinações hipnagógicas e paralisia do sono.

A sonolência diurna excessiva (SDE) é uma sensação persistente de sonolência, com tendência a cochilar em intervalos ao longo do dia, muitas vezes em horários inadequados. Estes são conhecidos como ataques de sono. Pode levar a nebulosidade cerebral, baixa concentração, diminuição de energia, lapsos de memória, exaustão e humor deprimido.

As alucinações hipnógógicas são alucinações sensoriais vívidas, muitas vezes assustadoras, que ocorrem durante o sono. Estes podem ser causados ​​pela mistura de vigília e sonho que ocorre com o sono REM.

A cataplexia é uma fraqueza muscular repentina no rosto, pescoço e joelhos. Algumas pessoas têm apenas uma leve fraqueza, como cabeça ou queixo caído, mas algumas pessoas desmoronam completamente no chão. Esses episódios geralmente são desencadeados por emoções fortes, como surpresa, riso ou raiva. A fraqueza é temporária, com duração de 2 minutos ou menos.

A paralisia do sono é uma incapacidade de se mover ou falar enquanto adormece ou acorda. Esses episódios podem durar de alguns segundos a vários minutos. Depois que o episódio termina, as pessoas recuperam rapidamente sua capacidade total de se mover e falar.

Comportamentos automáticos também podem ocorrer. Uma pessoa pode adormecer momentaneamente, mas continuar fazendo a atividade anterior, como dirigir, sem estar consciente.

Diagnóstico

A sonolência diurna crônica pode se originar de várias condições. Qualquer pessoa com sonolência excessiva deve procurar uma avaliação médica para determinar a causa exata.

A narcolepsia geralmente é diagnosticada erroneamente no início. Pode ser confundida com uma condição psicológica, apnéia do sono, síndrome das pernas inquietas ou outra condição.

Para determinar se uma pessoa tem narcolepsia, é necessário fazer uma análise médica completa e do sono, exame físico e estudos do sono, como polissonografia e teste de latência múltipla do sono.

Perguntas que um médico pode pedir para obter um histórico do sono incluem:

  • Você está com sono a maior parte do dia?
  • Quantas horas você está dormindo à noite?
  • Você se sente descansado ao acordar?
  • As suas sonecas são refrescantes?
  • Você experimenta sensações incomuns quando adormece?
  • Você é incapaz de se mexer quando adormece ou quando acorda pela primeira vez?
  • Você tem fraqueza muscular ou colapsa ao rir ou ficar com raiva?

Estudos do sono podem ajudar a confirmar um diagnóstico de narcolepsia. A polissonografia é feita com uma noite em uma clínica de sono. O teste de latência múltipla do sono é feito algumas horas após a polissonografia.

Manter um diário de sono pode ajudar no diagnóstico.

Tratamento

Não há cura para a narcolepsia, mas a medicação pode ajudar a controlar os sintomas. Estimulantes podem tratar a sonolência. Os antidepressivos podem tratar os sintomas da cataplexia e do sono REM anormal.

Sonolência (EDS)

EDS é tratado com estimulantes semelhantes à anfetamina, como a dexanfetamina, metilfenidato ou modafinil. Essas drogas são terapia de primeira linha por causa de seu baixo custo, disponibilidade e maior eficácia.

No entanto, eles são substâncias controladas. Exceto Modafinil, eles podem levar a tolerância e abuso.

Os efeitos colaterais incluem irritabilidade ou ansiedade e insônia. O modafinil pode causar dores de cabeça e náuseas.

Cataplexia

A cataplexia pode ser diminuída por drogas antidepressivas, que suprimem o sono REM.

A clomipramina é utilizada para tratar a narcolepsia. Inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRSs) e inibidores seletivos da recaptação da norepinefrina (ISRNs) também podem ser eficazes. Os efeitos colaterais podem incluir boca seca, constipação e visão turva.

O oxibato de sódio pode aliviar a SDE, o sono noturno precário e a cataplexia. Tem poucos efeitos colaterais e pouca interação com outras drogas.

O indivíduo deve evitar qualquer atividade que possa representar uma ameaça à saúde, como usar máquinas ou dirigir, até que qualquer cataplexia seja controlada.

O tratamento pode precisar de ajustes à medida que os sintomas mudam.

Vivendo com narcolepsia

Modificações no estilo de vida podem ajudar. Estes incluem atenção à higiene do sono, agendamento de sonecas diurnas e estabelecimento de um horário normal de exercício e refeição.

Aqui estão algumas diretrizes para uma boa higiene do sono:

Dormir pelo menos 7 horas

  • Mantenha um horário de sono consistente, levantando-se e indo para a cama na mesma hora todos os dias, mesmo nos fins de semana ou durante as férias.
  • Defina uma hora de dormir que permita pelo menos 7 horas de sono.
  • Não vá para a cama a menos que esteja com sono.
  • Se você não adormecer depois de 20 minutos, saia da cama.
  • Estabeleça rituais relaxantes na hora de dormir.
  • Use sua cama apenas para dormir e fazer sexo.
  • Deixe o seu quarto tranquilo e relaxante, com uma temperatura confortável e fresca.
  • Limite a exposição à luz à noite.
  • Evite grandes refeições antes de dormir. Se você estiver com fome à noite, coma um lanche leve e saudável.
  • Reduza a ingestão de líquidos antes de dormir.
  • Exercite-se regularmente e mantenha uma dieta saudável.
  • Evite consumir cafeína no final da tarde ou à noite.
  • Evite álcool.

perguntou Monica Gow, co-fundadora e membro do conselho da Wake Up Narcolepsy (WUN), sobre os principais desafios enfrentados pelas pessoas com a doença.

Ela nos contou:

“Pessoas com narcolepsia enfrentam muitos desafios, mas as principais são diagnósticos precisos em tempo hábil, encontrar um médico que possa administrar efetivamente a narcolepsia e encontrar a combinação certa de tratamento para permitir o funcionamento diário no nível mais alto possível, considerando o distúrbio médico. à mão.”

WUN é uma organização sem fins lucrativos que pessoas com narcolepsia, financiando pesquisas e aumentando a conscientização.

A Sra. Gow também nos aconselhou que: “Os amigos e a família podem ter empatia por entes queridos com narcolepsia e se educar na narcolepsia e em tudo o que estiver envolvido com ela”.

Outlook

Não há cura para a narcolepsia, mas a medicação prescrita e os bons hábitos de vida podem ajudar a controlar a condição.

De acordo com o Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e Derrame (NINDS), os sintomas muitas vezes se tornam mais graves ao longo dos 20 a 30 anos após a primeira aparição, mas a sonolência diurna pode diminuir após os 60 anos de idade.

Organizações como a WUN podem ajudar as pessoas a manterem-se atualizadas sobre os últimos desenvolvimentos. Eles também convidam pessoas a participar da busca por uma cura participando de projetos de pesquisa.

Like this post? Please share to your friends: