Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

Criptosporidiose: o que você precisa saber

A criptosporidiose é uma infecção parasitária do intestino delgado. A diarréia é o principal sintoma, mas em indivíduos com imunodeficiência, como pacientes com HIV ou AIDS, os sintomas podem ser graves ou até fatais.

A criptosporidiose tende a ser uma infecção aguda de curta duração. Espalha-se pela via fecal-oral, muitas vezes através de água contaminada. Também é conhecido como criptografia.

Nos Estados Unidos (EUA), estima-se que existam 748.000 casos anuais de criptosporidiose, mas mais de 98% dos casos não são notificados.

Sintomas

[Crypto causa problemas gástricos]

Em pessoas com um sistema imunológico saudável, o principal sintoma é a diarréia autolimitada.

Os sintomas aparecem de 1 a 12 dias após a infecção, com uma média de 7 dias. Eles duram até 2 semanas ou, em alguns casos, até um mês.

Em uma pessoa com um sistema imunológico saudável, pode haver:

  • nenhum sintoma perceptível
  • diarréia aguda
  • diarréia persistente que pode durar algumas semanas

A diarréia geralmente é aquosa com muco. Raramente, pode haver sangue ou leucócitos na diarréia.

A pessoa também pode ter dores de estômago ou câimbras e febre baixa.

Outros sintomas incluem:

  • náusea
  • vômito
  • má absorção
  • desidratação

Um portador de criptosporidiose que não apresenta sintomas ainda pode transmitir a infecção para outras pessoas.

Mesmo depois que os sintomas desaparecem, um indivíduo permanece infectado por algumas semanas.

Causas

A criptosporidiose é causada pelo parasita cryptosporidium.

Muitas espécies de cryptosporidium podem infectar seres humanos e uma grande variedade de animais.

Células Crypto no intestino

O parasita é protegido por uma casca externa que permite que ele sobreviva fora do corpo por horas e o torna resistente à desinfecção com cloro.

A infecção acontece através de material contaminado, como terra, água e alimentos não cozidos ou contaminados, que estiveram em contato com as fezes de um indivíduo ou animal infectado.

Milhões de organismos criptográficos, ou oocistos, podem ser liberados no movimento intestinal de um humano ou animal infectado. A infecção acontece depois de ingerir acidentalmente os oocistos.

É predominante entre aqueles que estão em contato regular com água doce, incluindo piscinas.

Uma pessoa pode ter criptografia colocando qualquer coisa na boca que tenha tocado nas fezes de uma pessoa ou animal infectado. Alguns surtos ocorreram em creches, como resultado de mudanças de fralda.

Não é espalhado pelo contato com sangue.

A criptosporidiose é responsável por 50,8 por cento das doenças transmitidas pela água, que são atribuídas aos parasitas.

Nos países em desenvolvimento, 8 a 19 por cento das doenças diarreicas podem ser atribuídas ao cryptosporidium.

A alta resistência dos oocistos de Cryptosporidium a desinfetantes, como o alvejante de cloro, permite que eles sobrevivam por longos períodos e permaneçam infectados fora do corpo do hospedeiro.

Diagnóstico

Para diagnosticar a criptografia, o médico pode primeiro observar os sintomas iniciais após um período de incubação de 1 a 12 dias.

Em seguida, uma amostra de fezes será testada em laboratório. A cultura de fezes pode revelar a presença do parasita e pode ajudar a descartar outros patógenos.

Um patógeno é outro nome para uma bactéria, vírus ou microorganismo que pode causar doenças.

Os ensaios de detecção de antígenos podem confirmar um diagnóstico. Os antígenos são substâncias tóxicas ou estranhas no corpo que desencadeiam uma resposta imune.

Outros testes incluem:

  • um ensaio imunoenzimático
  • um ensaio imunocromatográfico
  • um ensaio imunofluorescente

Um médico pode usar um ultra-som para verificar a criptografia no sistema biliar. Pode haver ductos biliares dilatados ou irregulares e uma vesícula biliar espessada.

Finalmente, uma colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE) pode confirmar o diagnóstico.

Uma CPRE envolve a inserção de um tubo flexível e iluminado através da boca, no estômago e no intestino delgado.

Tratamento

Existem várias opções de tratamento e gerenciamento para criptografia.

Os medicamentos antidiarreicos, como a nitazoxanida, podem tratar pacientes de todas as idades. Oitenta por cento dos sintomas desaparecem em menos de 5 dias com este medicamento.

 Crédito da imagem: Alae-eddine GATI, 1987 </ br>]”></p> <p align=É comum a infecção retornar.

Atividades como natação não são recomendadas por pelo menos 2 semanas após o desaparecimento dos sintomas.

Pessoas que têm, ou que tiveram recentemente, criptosporidiose não devem nadar em áreas comuns. Isso ocorre porque o patógeno pode se espalhar a partir das áreas anal e genital. Os oocistos continuam perdendo por algum tempo.

Uma dieta sem lactose pode ajudar a aliviar o trato digestivo e reduzir a inflamação.

É importante manter-se hidratado. Uma pessoa com desidratação grave pode precisar de fluidos intravenosos.

Os antibióticos geralmente não são úteis e são reservados principalmente para pessoas com uma apresentação grave da doença e um sistema imunológico fraco.

Criptografia em pacientes com um sistema imunológico enfraquecido

Uma pessoa com HIV ou AIDS tem um risco maior de pegar criptosporidiose, porque seu sistema imunológico está comprometido e seu corpo não pode combater a infecção de forma eficaz.

O tratamento antiviral pode melhorar o sistema imunológico e aumentar a resistência a uma variedade de infecções.

Estudos sugeriram que drogas como rifabutina e claritromicina, quando usadas para profilaxia complexa, podem proteger contra a criptografia.

Se uma pessoa com HIV ou AIDS tem criptografia, é mais provável que ela precise de uma intervenção ativa para resolvê-la do que pessoas com um sistema imunológico saudável.

Eles precisarão ser monitorados quanto à depleção de volume e desequilíbrio eletrolítico, resultante da desidratação e perda de peso e desnutrição.

Prevenção

A melhor maneira de prevenir a criptosporidiose é seguir as diretrizes de higiene e saneamento.

[criptografia sem nadar recomendado]

Isso inclui lavar as mãos com cuidado antes de comer e depois de usar o banheiro ou qualquer contato potencial com as fezes.

As pessoas devem evitar o contato com fezes de animais e alimentos e água potencialmente contaminados.

É importante lavar e cozinhar legumes completamente em todos os momentos.

Quando acampar ou viajar, as pessoas devem usar água engarrafada ou ferver ou filtrar a água e evitar bebidas que contenham gelo.

Outro meio de proteção é abster-se de abster-se de atividades sexuais que envolvam exposição a fezes.

Pessoas com um sistema imunológico comprometido devem tomar cuidado extra para se proteger da água em lagos e córregos.

Like this post? Please share to your friends: