Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: [email protected]

Tudo o que você precisa saber sobre SARS

A síndrome respiratória aguda grave, ou SARS, é uma doença respiratória contagiosa e potencialmente fatal.

Ele apareceu pela primeira vez na China em novembro de 2002 e foi identificado em fevereiro de 2003.

A SARS se espalhou para mais de 24 países antes de ser contida. Desde maio de 2004, nenhum novo caso foi relatado.

De novembro de 2002 a julho de 2003, ocorreram 8.098 casos no mundo e 774 mortes.

Os Estados Unidos (EUA) tiveram oito casos confirmados em laboratório e nenhum óbito. Todas as oito pessoas viajaram para áreas afetadas pela SARS.

Níveis fortes de cooperação global asseguraram que a ameaça da SARS fosse tratada rapidamente e a disseminação da doença fosse efetivamente contida.

O que é SARS?

[SARS contagioso]

O coronavírus da SARS (SARS-CoV) causa a SARS. Um coronavírus é uma forma comum de vírus que normalmente causa doenças do trato respiratório superior. O resfriado comum resulta de um tipo de coronavírus.

Seis tipos diferentes de coronavírus são conhecidos por infectar seres humanos. Quatro delas são comuns e a maioria das pessoas experimentará pelo menos uma delas em algum momento de sua vida.

Os outros dois tipos causam SARS e Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS). Estes são menos comuns, mas muito mais letais.

Antes da SARS aparecer, os coronavírus não tinham sido particularmente perigosos para os seres humanos, mas eles eram conhecidos por causar doenças graves em animais.

Como resultado, os cientistas pensaram primeiro que os animais transmitiam a SARS-CoV aos seres humanos. Eles agora acreditam que um vírus animal se transformou em uma nova e mais letal tensão.

Causas

Gotas de tosse e espirros e contato humano próximo provavelmente transmitem o vírus da SARS. As gotículas respiratórias são provavelmente absorvidas pelo corpo através das membranas mucosas da boca, nariz e olhos.

Isto poderia ser através de:

  • abraçando e beijando
  • compartilhando utensílios para comer e beber
  • falando com alguém a uma distância de 3 pés
  • tocando alguém diretamente

Uma pessoa com o vírus pode espalhar a infecção deixando gotículas respiratórias em objetos, como maçanetas, campainhas e telefones. Estes são então apanhados por outra pessoa.

O vírus provavelmente permanecerá ativo no ambiente por vários dias.

Por que nos preocupamos com as doenças zoonóticas?

[Coronavirus SARS]

Doenças que passam de animais para humanos são chamadas de doenças zoonóticas. Eles são relativamente raros.

A principal preocupação quando eles emergem é que eles são novos e também novos para os humanos, então o corpo humano ainda não tem imunidade.

Muitas vezes é impossível prever o que pode acontecer. No caso da SARS, os animais podem ter sido hospedeiros do vírus.

Em 2013, os cientistas descobriram que dois novos coronavírus encontrados em morcegos-ferradura chineses são um parente próximo do coronavírus SARS.

Um relatório publicado em 2014 sugeriu que mais de 320.000 vírus de mamíferos ainda não foram descobertos.

Sintomas

Os sintomas normalmente aparecem dentro de 3 a 5 dias após a exposição ao vírus da SARS, mas podem se desenvolver após 2 a 7 dias. Durante o período de incubação, antes dos sintomas aparecerem, a doença não é contagiosa.

A maioria dos casos de SARS começa com febre alta. Outros sintomas iniciais incluem aqueles comuns à gripe, como dores, calafrios, diarréia, tosse seca e falta de ar. Estes irão desenvolver ao longo de uma semana.

Os pacientes podem desenvolver pneumonia, uma infecção dos pulmões.

Podem ocorrer complicações graves, como insuficiência respiratória, insuficiência cardíaca e insuficiência hepática.

Essas complicações são mais prováveis ​​em pessoas acima de 60 anos e naquelas com comorbidades pré-existentes, como diabetes ou hepatite.

Diagnóstico

A Organização Mundial de Saúde (OMS) aconselha que, para ser diagnosticado com SARS, uma pessoa deve ter todos os itens a seguir:

  • uma febre de pelo menos 100.4 ° Fahrenheit ou 38 ° Celsius
  • um ou mais sintomas de doença do trato respiratório inferior: tosse, dificuldade para respirar, falta de ar
  • Evidência radiográfica sugestiva de diagnóstico de pneumonia
  • nenhum diagnóstico alternativo para explicar completamente a doença

A SARS é muito rara e os sintomas se sobrepõem aos da gripe e pneumonia. Um médico não suspeitará, a menos que a pessoa tenha estado em uma área onde haja um surto.

Testes

[Teste de laboratório SARS]

Testes laboratoriais podem ajudar a identificar o SARS-CoV.

O teste de reação em cadeia da polimerase transcricional reversa (RT-PCR) pode detectar o vírus no sangue, nas fezes e nas secreções nasais.

Testes sorológicos podem detectar anticorpos SARS-CoV no sangue. Se uma pessoa tem anticorpos, também é provável que ela tenha a infecção.

Os médicos também podem usar uma cultura viral. Isso envolve colocar um pequeno tecido corporal ou líquido em um recipiente com algumas células nas quais o vírus pode crescer. Se o vírus crescer, as células serão alteradas.

Esses testes podem não ser confiáveis ​​se usados ​​nos estágios iniciais da infecção.

A maioria dos pacientes que desenvolveram SARS em 2003 a 2004 passou algum tempo com pessoas que desenvolveram a doença, ou eles estiveram em lugares onde a doença estava presente.

A pneumonia é uma complicação comum, portanto, uma pessoa que desenvolva pneumonia inexplicada e tenha um tempo gasto em um local onde há um surto deve ser suspeita de SARS.

Isso pode incluir viver ou viajar recentemente para uma área afetada pela SARS ou trabalhar em um laboratório que contenha SARS-CoV ativa.

Tratamento e prevenção

Os EUA não exigiram que pessoas com SARS entrassem em quarentena durante o surto de 2003, mas a SARS é uma doença relatável. Também é uma emergência médica e é necessário atendimento médico urgente.

A OMS recomenda o isolamento de pacientes e o uso de técnicas de barreira para impedir a disseminação do vírus, incluindo máscaras de filtro e óculos de proteção. Nenhuma droga, incluindo antibióticos, parece ser eficaz contra a SARS.

O tratamento de suporte é recomendado, incluindo o uso de medicamentos para aliviar sintomas como febre e tosse.

Prevenção

Tal como acontece com outras doenças infecciosas, podem ser tomadas algumas medidas simples para ajudar a prevenir a disseminação do vírus da SRA.

[SARS higiene importante]

Boas práticas de higiene pessoal podem ajudar a restringir a disseminação do vírus.

Esses incluem:

  • lavagem frequente das mãos
  • evitando tocar nos olhos, boca ou nariz com mãos sujas
  • cobrindo a boca e o nariz com um lenço ao tossir ou espirrar
  • incentivando os outros a fazer o mesmo

Como a SARS é contagiosa quando seus sintomas se desenvolvem, qualquer pessoa com a doença deve limitar suas interações com outras pessoas até 10 dias após os sintomas terem melhorado. A SARS é mais contagiosa durante a segunda semana da doença.

Existe uma vacina?

Atualmente não há vacina contra a SARS, mas os cientistas estão trabalhando em uma.

Em 2013, pesquisadores anunciaram que descobriram uma maneira de desativar uma parte do vírus envolvido na SARS que permite que ela se esconda do sistema imunológico. Isso poderia levar ao desenvolvimento de uma vacina contra a doença.

Desde 2004, não houve casos registrados de SARS em qualquer parte do mundo. As organizações de saúde continuam trabalhando em uma resposta, caso a SARS reapareça no futuro.

Like this post? Please share to your friends: