Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: [email protected]

Tudo o que você precisa saber sobre cocaína

A cocaína é um anestésico altamente viciante e de ocorrência natural, ou bloqueador da dor.

É extraído das folhas de, também conhecido como o coca scrub, uma planta que cresce nos planaltos andinos da América do Sul.

É o estimulante mais poderoso de origem natural. Quando a Coca-Cola foi produzida pela primeira vez, continha 9 miligramas de cocaína por copo. Em 1903, esse ingrediente foi removido, mas a bebida ainda tem sabor a coca.

Em 1884, Karl Koller, um oftalmologista austríaco, usou pela primeira vez a cocaína como anestésico durante a cirurgia ocular. Foi um anestésico popular e amplamente utilizado até o início do século XX.

Quando a profissão médica chegou à conclusão de que a cocaína era viciante, foram desenvolvidos anestésicos mais seguros. A cocaína, em sua forma básica, não é mais usada rotineiramente.

No entanto, a cocaína e seus derivados, o crack, são amplamente utilizados como drogas recreativas ilegais.

Fatos rápidos sobre cocaína

Aqui estão alguns pontos importantes sobre a cocaína. Mais detalhes estão no artigo principal.

  • A cocaína pode ser fumada, injetada ou aspirada
  • O crack é um tipo de cocaína
  • Uso prolongado de cocaína aumenta o risco de doença cardíaca
  • A cocaína pode fazer alterações na estrutura do cérebro

Uso recreativo

[Droga cocaína]

Como uma droga recreativa, a cocaína é conhecida como pó, neve, esqui, soft, sopro, encostas, coca, pó em pó, benzoilmetilecgonina e balas no nariz.

É normalmente encontrado como um pó branco, cristalino ou como uma substância robusta e esbranquiçada.

Na forma de pó, geralmente consiste em cloridrato de cocaína diluído com outras substâncias, como a lidocaína, um anestésico local, açúcares (lactose), inositol e manitol.

Diluir a cocaína permite que o vendedor lucre mais “esticando” a quantidade de cocaína pura que eles têm para vender.

A cocaína pode ser tomada por:

  • Bufando ou inalando pelo nariz. Ele entra na corrente sanguínea através dos tecidos nasais
  • Injetando, que o libera diretamente na corrente sanguínea
  • Fumar ou inalar para os pulmões, onde entra rapidamente na corrente sanguínea

O que é crack?

Crack é o nome da rua para um tipo de cocaína que teve o cloridrato removido, tornando possível a fumaça.

Quando a mistura é aquecida, faz um som crepitante, daí o nome. Os produtores de crack fazem crack com bicarbonato de sódio ou amônia e água, e é aquecido para remover o cloridrato.

O fumante de crack recebe grandes doses de cocaína. O efeito é intenso e virtualmente imediato, como acontece com a cocaína injetada, mas a “alta” dura apenas cerca de 5 minutos.

Efeitos

[Crack cocaína]

A cocaína tem um efeito estimulante muito poderoso no sistema nervoso. Ele aumenta os níveis de dopamina, um neurotransmissor ligado ao prazer, ao movimento e ao circuito de recompensa do cérebro.

Normalmente, os neurônios liberam dopamina em resposta a um estímulo prazeroso, como o cheiro de boa comida. Uma vez que a dopamina tenha passado sua mensagem, ela retorna para dentro do neurônio e o sinal para.

A cocaína impede a dopamina de voltar ao neurônio, por isso acumula e continua enviando a mensagem prazerosa ao cérebro.

O excesso de dopamina dá ao usuário uma sensação de maior bem-estar, euforia, alerta, atividade motora e energia.

Os efeitos geralmente duram entre 15 e 30 minutos, mas mais curtos com o crack.

Riscos

Cocaína e crack são drogas ilegais. Isso é porque eles envolvem riscos para a saúde.

Vício

A cocaína é uma droga altamente viciante.

O uso a longo prazo pode mudar gradualmente o sistema de recompensa do cérebro, aumentando o risco de dependência.

Em usuários ocasionais de cocaína, problemas sociais ou físicos são raros, mas os cientistas insistem que não há quantidade segura de cocaína.

As pessoas que são dependentes podem eventualmente preferir tomar cocaína a qualquer outra atividade. Seus estilos de vida podem alterar completamente à medida que o vício se instala.

A pessoa pode perder seu emprego, casa, família e falir. As conseqüências podem ser fatais.

Overdose

[Risco de ataque cardíaco de cocaína]

Uma overdose de cocaína pode levar a convulsões, insuficiência cardíaca com risco de vida, hemorragia cerebral, acidente vascular cerebral e insuficiência respiratória.

O uso regular, mesmo sem sobredosagem, aumenta o risco de consequências negativas para a saúde.

Não há medicação específica para tratar a overdose de cocaína.

Alguns estudos mostraram que aqueles que injetam ou fumam cocaína têm um maior risco de complicações do que os indivíduos que a roncam. Os fumantes tendem a desenvolver um vício mais rapidamente do que aqueles que cheiram.

Fumar cocaína também aumenta o risco de desenvolver problemas respiratórios, como falta de ar, tosse e trauma pulmonar, incluindo sangramento.

Mudanças físicas

Cientistas da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, identificaram estruturas cerebrais anormais no lobo frontal do cérebro de usuários de cocaína.

A equipe examinou os cérebros de 120 indivíduos, metade dos quais eram viciados em cocaína. Os resultados mostraram uma perda generalizada de massa cinzenta entre os usuários de cocaína. A perda foi maior entre aqueles que usaram a droga por mais tempo.

Os gânglios da base, uma parte do cérebro que abriga o sistema de recompensa, foi encontrado para ser maior entre os indivíduos que eram dependentes de cocaína.

Os cientistas acreditam que os gânglios da base já foram ampliados antes do início do vício. Isso sugere que algumas pessoas podem ser mais vulneráveis ​​aos efeitos aditivos da cocaína.

Risco de acidente vascular cerebral e ataque cardíaco

Pesquisas indicam que o uso de cocaína pode aumentar significativamente o risco de ataque cardíaco ou derrame.

Descobriu-se que usuários recreacionais de cocaína têm artérias mais duras, paredes do músculo cardíaco mais espessas, pressão arterial mais alta e até 35 vezes mais risco de aorta endurecida, em comparação com pessoas que nunca usaram a droga.

Outros riscos para a saúde

O uso de cocaína também pode ter os seguintes efeitos:

[tratamento da dependência de cocaína]

  • vasos sanguíneos constritos
  • alta temperatura corporal
  • ritmo cardíaco acelerado
  • hipertensão arterial, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral
  • dores de cabeça
  • dor abdominal
  • náusea
  • diminuição do apetite, com risco de desnutrição entre usuários crônicos
  • paranóia severa, um senso de realidade prejudicado
  • alucinações, ou ouvir coisas que não estão lá
  • problemas do trato respiratório superior devido ao ronco regular, incluindo perda do olfato, hemorragias nasais, decaimento do septo nasal, problemas de deglutição, corrimento nasal persistente e rouquidão
  • severa gangrena intestinal causada por uma redução no fluxo sanguíneo entre aqueles que ingerem regularmente
  • injetar aumenta o risco de reações alérgicas graves e doenças transmitidas pelo sangue, como HIV e hepatite

O uso de cocaína com padrão de compulsão alimentar pode causar irritabilidade, ansiedade e inquietação.

Cocaetileno: cocaína e álcool

As pessoas que abusam de substâncias geralmente tomam mais de uma droga ao mesmo tempo. Quando uma pessoa consome cocaína e álcool juntos, o fígado produz cocaetileno.

O Cocaetileno prolonga os efeitos eufóricos da cocaína e os torna mais intensos.

Por essa razão, os usuários de drogas às vezes tomam o cocaetileno como uma droga recreativa.

No entanto, o uso de cocaetileno está associado a um risco significativamente maior de morte súbita, em comparação com a cocaína sozinha.

Tratar vício

Reconhecer um vício é o primeiro passo para perdê-lo.

Dependendo da natureza do abuso, alguns pacientes que procuram ajuda serão aconselhados a participar de um programa de reabilitação residencial, ou um programa estruturado de dia.

Os medicamentos podem tratar os sintomas relacionados com a abstinência de cocaína, mas não existe um medicamento substituto que possa efetivamente ajudar um paciente a se recuperar de uma dependência de cocaína.

Indivíduos que param de usar a droga terão desejos poderosos que podem durar anos.

Aconselhamento, apoio social e alguns medicamentos especializados podem ajudar.

A Agência Nacional de Tratamento para o Uso Indevido de Substâncias (NTA, na sigla em inglês) diz que 70% das pessoas que entram em tratamento para problemas de cocaína em pó param completamente ou reduzem significativamente seu consumo em 6 meses.

Qualquer um que esteja preocupado com o uso de cocaína deve procurar um médico ou um grupo de apoio local para combater o vício.

Like this post? Please share to your friends: