Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

Púrpura: o que você precisa saber

A púrpura ocorre quando pequenos vasos sangüíneos estouram, fazendo com que o sangue se acumule logo abaixo da pele. Eles aparecem como pequenas manchas roxas logo abaixo da superfície da pele.

Púrpura, também conhecida como hemorragia da pele ou manchas de sangue, pode sinalizar uma série de problemas médicos, desde pequenas lesões até infecções que ameaçam a vida.

A púrpura é um sintoma e não uma doença em si, e há várias causas possíveis.

Neste artigo, explicaremos o que é púrpura, por que acontece, seu diagnóstico e tratamento.

O que é púrpura?

[Púrpura no rosto]

Púrpura é caracterizada por pequenas manchas roxas na pele, tipicamente 4-10 milímetros de diâmetro. Algumas pessoas desenvolvem manchas maiores de 1 centímetro ou mais. Essas são chamadas equimoses.

Às vezes, as manchas podem aparecer nas membranas mucosas, por exemplo, dentro da boca.

Púrpura tende a ocorrer em aglomerados que são encontrados em uma única área ou cobrem uma grande parte do corpo. Quanto maior a erupção, maior o sangramento.

Ao contrário de algumas outras erupções cutâneas, a púrpura não muda de cor ou branquela quando pressionada. A erupção pode se parecer muito com pequenos grupos de hematomas, mas a pele não deve estar coçando ou irritada – isso sugeriria uma causa diferente da púrpura.

Púrpura em si é um sintoma e não uma condição. Para determinar a causa, os médicos devem executar uma série de testes. Estes testes avaliarão a nutrição do paciente, os níveis de plaquetas, a inflamação, o potencial de infecção e a saúde dos vasos sanguíneos.

O tratamento para púrpura geralmente requer o tratamento da causa subjacente da erupção cutânea.

Tipos de púrpura

Os médicos quebram erupções purpura em duas categorias com base na contagem de plaquetas. As plaquetas são fragmentos de células que ajudam o coágulo sanguíneo de forma mais eficaz, evitando sangramento perigoso.

  • Púrpuras trombocitopênicas – a contagem de plaquetas é baixa, sugerindo um distúrbio de coagulação subjacente.
  • Púrpuras não-trombocitopênicas – os níveis de plaquetas são normais, sugerindo outra causa.

Uma baixa contagem de plaquetas pode causar sangramento e hematomas excessivos e ser causada por vários fatores, incluindo:

  • Câncer
  • transplantes de medula óssea
  • Infecções por HIV
  • quimioterapia
  • terapia estrogênica
  • terapia de reposição hormonal
  • alguns medicamentos

Uma gama de condições médicas subjacentes pode causar ambos os tipos de púrpura.

Uma das variedades mais estudadas de púrpura é a púrpura de Henoch-Schönlein, uma versão não trombocitopênica da púrpura. Mais comum entre crianças pequenas, esse tipo de púrpura é freqüentemente precedido por uma infecção respiratória. Os sintomas geralmente desaparecem por conta própria, mas algumas pessoas com púrpura de Henoch-Schönlein sofrem uma inflamação perigosa que leva a problemas renais.

A púrpura trombocitopênica idiopática (PTI) é uma forma de púrpura com causa desconhecida. Pacientes com PTI experimentam a destruição de plaquetas na corrente sanguínea. Isso os deixa em maior risco de sangramento que cria uma erupção cutânea típica da púrpura.

Causas de púrpura

Uma fruta cítrica com um C feito de pílulas.

Para tratar a púrpura, os médicos devem determinar sua causa. Púrpura que não reduz os níveis de plaquetas (não-trombocitopenia) tem uma variedade de causas e fatores de risco, incluindo:

  • Distúrbios e infecções presentes desde o nascimento que causam anormalidades nos vasos sanguíneos ou na produção de sangue, como a síndrome de Ehlers-Danlos e a rubéola.
  • Amiloidose, que causa a formação de placas amiloides no corpo.
  • Deterioração dos vasos sanguíneos associada à idade.
  • A falta de vitamina C, também conhecida como escorbuto.
  • Doenças infecciosas ou inflamatórias que afetam os vasos sanguíneos.
  • Algumas drogas, como esteróides e sulfonamidas.

Púrpura com uma contagem de plaquetas diminuída (trombocitopenia) tem várias causas potenciais:

  • drogas que reduzem a contagem de plaquetas
  • transfusões de sangue recentes
  • febre maculosa montanha rochosa
  • lupus eritema sistêmico
  • infecções graves, incluindo HIV e hepatite C

O PTI ocorre quando o corpo ataca suas próprias plaquetas, aumentando o risco de sangramento e erupções cutâneas purpúreas. Em recém-nascidos cujas mães têm PTI, a redução da contagem de plaquetas também pode levar à púrpura.

Doenças que prejudicam a função da medula óssea podem restringir a capacidade do organismo de produzir plaquetas e atacar a medula óssea, como:

  • leucemia
  • anemia aplástica
  • mieloma
  • tumores da medula óssea

Sintomas de púrpura

[Purpura erupção na pele]

O principal sintoma da púrpura é uma erupção vermelho-arroxeada logo abaixo da superfície da pele. A erupção pode aparecer em qualquer parte do corpo, inclusive nas membranas mucosas, como o revestimento da boca.

Os sintomas que às vezes acompanham a púrpura podem ajudar a identificar sua causa.

Os pacientes que experimentam púrpura com qualquer um dos seguintes sintomas devem procurar tratamento médico:

  • Contagem baixa de plaquetas, que pode levar a um aumento do sangramento após uma lesão, sangramento das gengivas ou nariz, ou sangue na urina ou nos movimentos intestinais.
  • Articulações doloridas e inchadas, particularmente nos tornozelos e joelhos.
  • Problemas no intestino, como náuseas, vômitos, diarréia ou dor de estômago.
  • Problemas renais, particularmente proteína ou sangue na urina.
  • Cansaço excessivo.

Complicações de púrpura

Porque púrpura pode sinalizar um problema médico subjacente, pode levar a complicações se não for tratada. Quando a púrpura é o resultado de uma condição de coagulação do sangue, o distúrbio não tratado pode causar hemorragia com risco de vida. O rápido diagnóstico e tratamento da causa subjacente pode reduzir o risco de complicações graves do paciente.

Danos nos rins podem ocorrer em pessoas com púrpura de Henoch-Schönlein; esse dano pode exigir diálise ou transplante de rim e pode se tornar fatal se não for tratado.

A púrpura de Henoch-Schönlein também pode causar uma condição rara na qual o intestino se dobra sobre si mesmo; Isso cria uma obstrução intestinal que restringe a digestão. Obstruções intestinais podem ser fatais se não forem tratadas.

ITP ocasionalmente causa sangramento no cérebro causando dano cerebral permanente ou morte se não for prontamente tratado.

Fatores de risco e prevenção de púrpura

Púrpura em si não é uma doença, mas um sintoma de outro problema. O único método eficaz para prevenir a púrpura é evitar as condições que a causam. Como a maioria dessas condições não se deve a fatores relacionados ao estilo de vida, há pouca coisa que uma pessoa possa fazer para reduzir o risco de púrpura.

Fatores de risco para púrpura incluem:

  • problemas de coagulação do sangue causados ​​por medicação ou doença
  • doenças infecciosas, particularmente entre crianças e idosos
  • má nutrição quando leva à falta de vitamina C
  • algumas formas de câncer, como leucemia e mieloma
  • condições e distúrbios inflamatórios, como a síndrome de Ehlers-Danlos
  • idade avançada
  • má saúde dos vasos sanguíneos

Diagnóstico de púrpura

[Purpura erupção na perna]

As manchas roxas de púrpura são bastante fáceis de distinguir de outras erupções cutâneas. Púrpura não é normalmente acompanhada de coceira ou outros problemas comuns da pele. No entanto, encontrar a causa subjacente da púrpura pode ser complicado.

Os médicos costumam fazer perguntas como:

  • Você tem algum outro sintoma?
  • Alguém mais em casa tem os mesmos sintomas?
  • Há quanto tempo você teve a erupção?
  • Você já teve essa erupção antes?
  • Você toma algum medicamento?
  • Existem outros problemas médicos?

Um número de testes de rotina, começando com um hemograma completo, ajuda a investigar a causa da púrpura. Um hemograma completo irá revelar se o paciente tem plaquetas baixas e se alguma infecção subjacente está ocorrendo.

Se o médico suspeitar de PTI, eles podem solicitar o teste da medula óssea. Uma biópsia de pele também pode fornecer informações importantes, especialmente quando um médico é incapaz de encontrar uma causa subjacente para a púrpura.

Algumas formas de câncer de pele parecem semelhantes às manchas roxas da púrpura. Uma biópsia pode excluir o câncer de pele.

Se um médico suspeitar de púrpura de Henoch-Schönlein, os testes de urina podem avaliar a função renal, testando proteínas e sangue na urina.

Os médicos também podem realizar outros testes com base nos sintomas do paciente e no diagnóstico suspeito.

Tratamentos para púrpura

Nem todos os casos de púrpura exigem tratamento imediato. Os médicos muitas vezes optam por observar o paciente em busca de outros sintomas para ver se eles desaparecem sozinhos. As crianças que experimentam púrpura de Henoch-Schönlein costumam melhorar sem tratamento.

Quando o tratamento é necessário, não é devido à erupção em si. O tratamento é necessário para causas como leucemia ou efeitos incluindo insuficiência renal.

Tratamento para púrpura de Henoch-Schönlein

O tratamento da púrpura de Henoch-Schönlein se concentra na melhora dos sintomas. Os médicos podem recomendar antiinflamatórios não esteroidais (AINEs) para reduzir a inflamação e a dor. O tratamento com esteróides pode reduzir o dano renal e a dor abdominal. Se o dano renal for grave, os médicos podem prescrever medicamentos para suprimir o sistema imunológico.

Tratamento para ITP

Os sintomas da PTI variam de leves a graves, e alguns pacientes não necessitam de tratamento algum. Aqueles que fazem podem se beneficiar de drogas destinadas a aumentar a contagem de plaquetas, ou remoção do baço.

O baço pode destruir ou segurar as plaquetas, então, removendo-o, a contagem de plaquetas é permitida a subir.

Tratamentos de estilo de vida também podem ajudar, uma vez que drogas como a aspirina impedem a agregação e a coagulação das plaquetas.

Drogas que suprimem o sistema imunológico, como a prednisona, podem ajudar a elevar os níveis de plaquetas. Em pacientes que sofrem de plaquetas baixas o suficiente para causar risco de vida, os médicos podem oferecer tratamento com imunoglobulina.

Tratamento para outras formas de púrpura

O tratamento para outras formas de púrpura gira em torno da causa subjacente. Isso pode incluir opções como quimioterapia, medicamentos antivirais, medicamentos esteróides, antibióticos e cirurgia.

Corticosteróides – estes podem ajudar a aumentar a contagem de plaquetas, reduzindo a atividade do sistema imunológico. O medicamento será usado por 2-6 semanas para garantir que as plaquetas retornem a um nível seguro.

Os efeitos colaterais do uso de corticosteroides por um longo período de tempo incluem catarata, perda óssea e ganho de peso.

Imunoglobulina intravenosa – se a púrpura causar sangramento significativo, a imunoglobulina intravenosa pode ajudar a aumentar os níveis de plaquetas. Este tratamento normalmente só é eficaz a curto prazo.

Os efeitos colaterais incluem náusea, febre e dor de cabeça.

Romiplostim (Nplate) e eltrombopag (Promacta) – estes são os mais recentes medicamentos a serem utilizados no tratamento da ITP. Ambos encorajam a medula óssea a produzir mais plaquetas.

Os efeitos colaterais incluem tonturas, dores de cabeça, dores articulares e musculares, náuseas, vômitos, aumento do risco de coágulos sanguíneos e síndrome do desconforto respiratório agudo.

Rituximab (Rituxan) – ajuda a diminuir a resposta imune. Predominantemente usado para tratar a púrpura trombocitopênica e pacientes que não respondem aos corticosteróides. Os efeitos colaterais incluem dor de garganta, pressão baixa, febre e erupção cutânea.

Quando a púrpura é causada por uma condição médica que não pode ser curada, a verificação contínua dos níveis de plaquetas e do funcionamento do órgão pode ser necessária.

Like this post? Please share to your friends: