Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

Poliovírus mata as células cancerosas e impede o crescimento do tumor

Pesquisadores da Duke University, em Durham, Carolina do Norte, podem ter descoberto uma nova maneira de matar as células cancerígenas.

células t atacando as células cancerígenas

A equipe foi liderada em conjunto pelo Dr. Matthias Gromeier, professor do Departamento de Neurocirurgia, e Prof. Smita Nair, que é imunologista do Departamento de Cirurgia.

A nova pesquisa – publicada na revista – mostra como um poliovírus modificado permite que o corpo use seus próprios recursos para combater o câncer. O vírus modificado tem o nome de poliovírus oncolítico recombinante (PVS-RIPO).

O PVS-RIPO está em testes clínicos desde 2011 e os resultados preliminares ofereceram esperança aos pacientes com uma das formas mais agressivas de tumor cerebral: o glioblastoma recorrente. Então, os pesquisadores se propuseram a investigar com mais profundidade como exatamente o PVS-RIPO funciona.

Explicando a razão por trás de seu esforço de pesquisa, Dr. Gromeier diz: “Conhecer os passos que ocorrem para gerar uma resposta imune nos permitirá racionalmente decidir se e quais outras terapias fazem sentido em combinação com o poliovírus para melhorar a sobrevida do paciente.”

Poliovírus ataca tumores, inibe o recrescimento

Os pesquisadores examinaram o comportamento do poliovírus em duas linhas celulares humanas: melanoma e câncer de mama triplo-negativo. Eles observaram que o poliovírus se liga às células cancerígenas. Essas células possuem um excesso da proteína CD155, que atua como um receptor para o poliovírus.

Então, o poliovírus começa a atacar as células malignas, desencadeando a liberação de antígenos do tumor. Os antígenos são substâncias tóxicas que o corpo não reconhece, desencadeando um ataque imunológico contra elas.

Então, quando as células do tumor liberam antígenos, isso alerta o sistema imunológico do corpo para começar a atacar. Ao mesmo tempo, o poliovírus infecta as células dendríticas e macrófagos.

As células dendríticas são células cujo papel é processar antígenos e “apresentá-los” às células T, que são um tipo de célula imune. Macrófagos são outro tipo de célula imunológica – ou seja, grandes glóbulos brancos cujo papel principal é livrar nossos corpos de detritos e substâncias tóxicas.

Os resultados da cultura de células – que os pesquisadores verificaram em modelos de ratos – mostraram que, uma vez que o PVS-RIPO infecta as células dendríticas, essas células “dizem” às células T para iniciar o ataque do sistema imunológico.

Uma vez iniciado, este processo parece ser continuamente bem sucedido. As células cancerígenas continuam a ser vulneráveis ​​ao ataque do sistema imunológico durante um longo período de tempo, o que parece impedir o crescimento do tumor.

Como explica o Prof. Nair, “não apenas o poliovírus está matando as células tumorais, ele também está infectando as células apresentadoras de antígenos, o que permite que elas funcionem de tal forma que possam agora aumentar a resposta das células T que podem reconhecer e infiltrar um tumor”. “

“Este é um resultado encorajador, porque significa que o poliovírus estimula uma resposta inflamatória inata”.

Prof. Smita Nair

Falando sobre as implicações clínicas das descobertas e as direções dos cientistas para futuras pesquisas, Dr. Gromeier disse: “Nossas descobertas fornecem uma justificativa clara para avançar com os ensaios clínicos em câncer de mama, câncer de próstata e melanoma maligno”.

“Isso inclui novos tratamentos combinados que vamos seguir”, acrescentou ele.

Mais especificamente, explica ele, porque o estudo revelou que, após o tratamento com o poliovírus, “pontos de checagem imunológica aumentam nas células do sistema imunológico”, uma estratégia futura que os pesquisadores planejam explorar é “poliovírus [oncolíticos] combinados com bloqueio do ponto de checagem imune”.

Like this post? Please share to your friends: