Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

O sol é bom ou ruim para a psoríase?

Pessoas com psoríase freqüentemente percebem que seus sintomas tendem a melhorar no verão quando estão mais expostos ao sol. Isso não é uma coincidência, pois a luz solar pode ser benéfica para a psoríase quando usada corretamente.

A psoríase é uma condição auto-imune que faz com que o sistema imunológico produza muitas células da pele.

Essas células se acumulam na superfície da pele em manchas chamadas placas, que podem ser dolorosas e com coceira. Muitas pessoas recorrem a cremes medicamentosos, esteróides e imunossupressores para alívio.

A luz solar pode ser uma das maneiras mais fáceis de ajudar a curar crises de psoríase, mas existem alguns equívocos sobre a psoríase e exposição ao sol. Neste artigo, observamos algumas precauções a serem tomadas ao expor o corpo ao sol e maneiras seguras de se beneficiar da exposição ao sol.

Como a luz solar ajuda a psoríase?

Mulher no sol que aplica a loção da proteção solar a sua pele.

O sol emite raios ultravioleta (UV), que são classificados como raios UVA e UVB. A diferença entre esses tipos está no tamanho da onda. Pesquisas sugerem que os raios UV têm efeitos imunossupressores, o que pode ajudar a reduzir os sintomas da psoríase.

Os raios UVA variam de 320 a 400 nanômetros (nm) e podem atingir profundamente a pele. Os raios UVB variam de 280 a 320 nm e atingem somente as camadas superiores da pele.

Por conta própria, os raios UVA naturais não são muito eficazes na melhora dos sintomas da psoríase, mas os raios UVB são.

A exposição ao UVB do sol pode retardar o rápido crescimento das células da pele, que é um dos principais sintomas da psoríase. Isso pode ajudar a aliviar a inflamação e reduzir a descamação em pessoas com psoríase leve a moderada.

A luz solar tem o benefício adicional de ajudar o corpo a criar vitamina D, que protege a pele e regula sua imunidade natural. A vitamina D não é encontrada naturalmente em muitos alimentos, mas é regularmente adicionada a alguns produtos lácteos.

Um estudo descobriu que a deficiência de vitamina D pode ser comum em pessoas com psoríase, especialmente no inverno, quando a exposição ao sol está baixa.

Como a vitamina D ajuda a proteger a pele e a equilibrar a resposta imunológica da pele, é essencial que as pessoas com psoríase recebam luz solar suficiente. Dermatologistas também podem recomendar que pessoas com psoríase usem cremes tópicos que contenham vitamina D.

Terapia de fototerapia e PUVA

A fototerapia é o processo do corpo absorvendo raios UV para ajudar a aliviar os sintomas da psoríase. O termo é tipicamente usado para descrever a exposição à luz UV em um ambiente controlado, como o consultório de um dermatologista.

Sozinhos, os raios UVB são mais desejáveis ​​para o tratamento da psoríase, pois ajudam a diminuir a taxa de crescimento das células da pele.

Os médicos também podem recomendar um tratamento combinado chamado terapia PUVA. Durante este tratamento, as pessoas tomam uma droga chamada psoraleno, que aumenta a sensibilidade do corpo aos raios UVA, antes de serem expostos aos raios.

A terapia com PUVA tende a ser administrada a pessoas com psoríase moderada a grave, mas também pode ser usada em pessoas cuja psoríase não esteja respondendo a tratamentos tópicos ou com UVB. PUVA é um tratamento muito eficaz para a psoríase e é usado a longo prazo para ajudar a manter os sintomas de retorno.

Beneficiando do sol com segurança

Descascando a pele devido a queimaduras solares.

Quando as pessoas utilizam a luz solar com cuidado, é uma ferramenta útil para o tratamento da psoríase. É vital começar devagar, no entanto, para reduzir a chance de danos à pele.

Dermatologistas recomendam limitar a quantidade de tempo que uma pessoa gasta no sol todos os dias.

Até mesmo 10 minutos de exposição ao sol em todo o corpo permitem que o corpo absorva a luz solar e, ao mesmo tempo, reduz o risco de danos causados ​​pelo sol.

Se o corpo tolerar isso e o sol não agravar os sintomas da psoríase, a exposição pode ser aumentada em 30 segundos a cada dia, até 30 minutos.

Trabalhando diretamente com um dermatologista ou médico, muitas pessoas podem encontrar uma quantidade segura de tempo para obter os benefícios do sol sem danificar sua pele.

Riscos

Quando usada com segurança, a luz solar é ótima para a psoríase; No entanto, muita luz solar pode causar mais danos à pele.

A psoríase é mais comum em pessoas de pele clara que já apresentam maior risco de queimaduras devido a níveis mais baixos de melanina na pele. O risco de câncer de pele perigoso também é maior em pessoas de pele clara, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Pessoas com psoríase devem evitar a exposição excessiva à luz solar e proteger-se contra queimaduras solares. A exposição excessiva e a queimadura solar causam danos às células, o que pode causar mais crises de psoríase.

Camas de bronzeamento

A National Psoriasis Foundation não recomenda o uso de camas de bronzeamento para sintomas de psoríase.

Ao contrário das unidades de fototerapia, os comprimentos de onda em camas de bronzeamento podem danificar a pele e aumentar o risco de uma pessoa desenvolver câncer de pele. As camas de bronzeamento usam mais luz UVA do que a luz UVB, tornando-as menos eficazes na redução dos sintomas da psoríase.

Precauções a tomar

É sempre importante tomar precauções extras sempre que expor a pele ao sol. Existem algumas coisas que as pessoas com psoríase devem considerar antes de se aventurarem ao sol.

Protetor solar

Loção de sol sendo espremida da garrafa na palma da mão.

Encontrar um bom protetor solar é uma parte crucial da exposição ao sol de qualquer tipo. Um filtro solar de amplo espectro pode ser mais benéfico, pois protege contra os raios UVA e UVB.

Um dermatologista pode recomendar a escolha de um filtro solar com um fator de proteção solar (FPS) de pelo menos 30. Números mais altos fornecerão mais proteção contra as queimaduras solares causadas pelos raios UVB.

Algumas pessoas também procuram filtros solares resistentes à água para ajudar a proteger a pele enquanto nadam ou transpiram sob o sol quente.

Para pessoas com psoríase, há protetores solares hipoalergênicos ou filtros solares feitos para pele sensível. Alguns produtos químicos em protetores solares genéricos podem irritar a pele ou causar surtos de psoríase.

Medicamentos

Alguns medicamentos, especialmente cremes e pomadas, podem tornar a pele mais sensível à luz.Isso pode aumentar o risco de queimaduras e danos à pele.

É importante perguntar a um profissional de saúde sobre quaisquer riscos associados a medicamentos ou tratamentos específicos.

Outras precauções

Vestindo camisas de mangas compridas, chapéus e calças também pode ajudar a reduzir a exposição quando se passa muito tempo ao sol. Também pode ajudar a usar óculos de sol, pois a pele sensível ao redor dos olhos pode ser mais propensa a danos causados ​​pelo sol.

Procurar sombra quando o sol é mais forte também pode ajudar a evitar a superexposição. Sombra de uma árvore, guarda-chuva ou barraca pode ajudar a bloquear alguns dos raios do sol. A luz solar também pode refletir-se na neve ou na água e aumentar a exposição da pele.

Leve embora

Atualmente, não há cura para a psoríase, portanto, o tratamento se concentra na redução e no controle dos sintomas. Os raios UV fornecidos pelo sol e pela vitamina D que o corpo absorve desses raios podem ser benéficos para as pessoas com psoríase quando têm um surto.

Tomar precauções ao expor a pele afetada à luz solar pode ajudar a melhorar os sintomas ao longo do tempo ou evitar que eles piorem.

Trabalhando diretamente com um dermatologista, muitas pessoas podem encontrar alívio em seus sintomas usando luz solar ou fototerapia.

Like this post? Please share to your friends: