Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

O que você precisa saber sobre o melanoma ocular

Olho, ou ocular, o melanoma é o tipo mais comum de câncer ocular. Normalmente afeta a úvea, a camada vascular do olho entre a retina e o branco do olho.

Também é conhecido como melanoma uveal. Os tumores se desenvolvem nos melanócitos, as células produtoras de pigmento dentro da úvea que dão cor ao olho.

A maioria dos melanomas afeta a pele, mas alguns se desenvolvem em outras partes do corpo, incluindo o olho.

Se o câncer começa no olho, este é o câncer ocular primário. Se o olho melanoma começa em outro lugar do corpo e se espalha para o olho, é chamado de câncer ocular secundário.

O câncer de olho é geralmente secundário e 9 de 10 melanomas oculares começam na pele.

A Sociedade Americana de Câncer estima que, em 2017, haverá 3.130 novos cânceres de olho e a órbita do olho nos Estados Unidos (EUA), e que 330 pessoas morrerão de tais cânceres.

Pode acontecer em qualquer idade, mas se torna mais provável à medida que as pessoas envelhecem.

Sintomas

[Melanoma ocular causa dificuldades de visão e obstruções visuais]

Alguns pacientes podem não apresentar sintomas, enquanto outros podem ter flashes de luz, visão embaçada ou manchas escuras em seu campo de visão.

Os seguintes sinais e sintomas são possíveis:

  • uma mancha escura na íris que fica maior
  • um deslocamento do olho dentro da órbita ocular
  • vendo luzes piscando
  • olhos marejados
  • visão pobre ou embaçada ou perda da visão periférica em um olho

Também pode haver flutuadores ou pequenos pontos ou rabiscos que se movem no campo de visão do paciente. Os flutuadores podem ser vistos com mais clareza quando se olha para um plano de fundo simples, como uma parede em branco. Eles podem aparecer como minúsculos pontos, círculos, linhas, nuvens ou teias de aranha.

Flutuadores são comuns, especialmente à medida que as pessoas envelhecem, e não indicam necessariamente câncer.

Raramente, a dor no olho ou em volta dele pode ser um sinal de melanoma ocular.

Causas

Os especialistas não sabem ao certo qual é a causa exata do melanoma ocular, mas acredita-se que os fatores genéticos desempenham um papel nas células que se tornam cancerosas.

Os cientistas descobriram ligações entre o câncer de olho e algumas alterações genéticas, mas ainda não está claro exatamente onde essas mudanças ocorrem, ou se elas causam o desenvolvimento de câncer.

Fatores de risco

Os seguintes fatores aumentam a chance de desenvolver melanoma ocular:

Cor dos olhos: Pessoas com olhos azuis têm um risco maior de desenvolver melanoma do que aquelas com olhos castanhos.

[A luz do sol aumenta o risco de melanoma ocular]

Exposição à luz ultravioleta (UV): A exposição à luz UV, por exemplo, da luz do sol, pode aumentar o risco, mas a pesquisa não confirmou isso.

Síndrome do nevo displásico: Nesta condição, uma pessoa desenvolve sinais atípicos, conhecidos como nevos displásicos, que parecem diferentes dos sinais comuns. Eles têm bordas irregulares, podem ser misturados em cores e aparecer em clusters. Os nevos displásicos têm maior probabilidade de evoluir para melanoma maligno do que os moles comuns.

Fatores genéticos: Algumas anormalidades cromossômicas, como as encontradas no cromossomo 3, aumentam o risco de melanoma se espalhar do olho para outras partes do corpo.

Etnia: É mais provável que afecte as pessoas brancas.

Diagnóstico

A detecção precoce e o tratamento do melanoma ocular são cruciais para o tratamento eficaz. Fazer exames oftalmológicos regulares com um oftalmologista ou oftalmologista é a melhor maneira de proteger os olhos.

O médico examina a parte externa do olho, procurando por vasos sanguíneos aumentados. Isto pode indicar um certo número de condições oculares, incluindo um tumor. O oftalmologista também examina o interior do olho.

A oftalmoscopia é usada para examinar o interior do olho, incluindo a retina, o nervo óptico e a lente. Este procedimento pode ser direto ou indireto.

A oftalmoscopia indireta usa uma lâmpada de cabeça para brilhar uma luz muito brilhante no olho.

A oftalmoscopia direta usa um oftalmoscópio, um dispositivo que consiste em um espelho côncavo e uma luz operada por bateria. O operador usa uma única ocular para olhar nos olhos.

O oftalmologista pode dar medicação ao paciente para dilatar as pupilas e ampliar a abertura para as estruturas do olho.

Olhar nos olhos é suficiente para detectar e diagnosticar a maioria dos tumores.

Testes

Um oftalmologista pode diagnosticar melanoma ocular

Se o médico suspeitar de melanoma ocular, eles podem solicitar os seguintes exames de imagem:

Ultra-som: Ondas sonoras de alta frequência produzem imagens de estruturas dentro do olho. Melanomas oculares geralmente têm características distintas em uma imagem de ultra-som. O ultra-som também pode ajudar a determinar a espessura do tumor.

Angiofluoresceinografia: Um corante amarelo é injetado em uma veia no braço do paciente. À medida que o corante circula nos olhos, uma câmera especial tira fotos em flash a cada poucos segundos por vários minutos. As imagens podem mostrar onde o corante está indo, e realça os vasos sanguíneos na retina.

Se o melanoma ocular for confirmado, o oftalmologista poderá encaminhar o paciente a um oncologista ocular ou regular para o tratamento do câncer.

Metástase

Testes adicionais podem detectar se o câncer metastatizou ou se espalhou para outras partes do corpo.

Esses incluem:

  • exames de sangue, para determinar se o câncer se espalhou para o fígado
  • uma radiografia de tórax para detectar anormalidades nos pulmões
  • uma tomografia computadorizada ou ressonância magnética de outras partes do corpo

Uma biópsia, na qual o médico coleta uma amostra de tecido para teste em laboratório. A biópsia geralmente não é necessária.

Tratamento

O tratamento depende de vários fatores, incluindo onde e que tipo de tumor é, o tamanho do tumor e a saúde geral do paciente.

Se houver uma lesão pequena, um médico pode sugerir que seja monitorado em vez de tratá-lo imediatamente, pois o tratamento pode levar a alguma perda de visão.

Cirurgia

Várias opções cirúrgicas são possíveis.

A iridectomia remove partes da íris com pequenos melanomas que não se espalharam para outras partes do olho.

A iridotrabeculectomia remove partes da íris e dos tecidos de suporte onde os melanomas podem se espalhar.

[Radioterapia para melanoma ocular]

A iridociclectomia remove parte da íris e do corpo ciliar. O corpo ciliar é uma fina camada entre o branco do olho e a retina que contém os vasos sanguíneos.

A coroidectomia remove parte da coróide e às vezes parte da parede do olho também. A coróide é a parte vascular pigmentada do olho. A operação pode seguir-se de um curso da terapia radioativa.

A enucleação remove todo o olho, nos casos em que o tumor é grande, e qualquer outro tratamento resultaria na perda da maior parte do olho. Também pode ser recomendado se houver dor ocular.

O cirurgião implantará uma prótese ocular ou um olho artificial. Isso não fornece visão. É um substituto cosmético.

Radiação e outra terapia direcionada

A radioterapia pode destruir o material genético das células cancerígenas e impedi-las de se reproduzir. A radiação é cuidadosamente direcionada para destruir as células cancerígenas, limitando os danos às células saudáveis. O médico pode administrar radiação de dentro ou de fora do olho.

Dois tipos de tratamento com radiação são a teleterapia e a braquiterapia.

Teleterapia gera radiação de fora do corpo do paciente. Tem como alvo as células malignas no olho.

A braquiterapia ancora temporariamente pequenas sementes radioativas no olho para encolher o tumor. O oftalmologista ou oncologista irá costurar uma placa, ou pequeno implante, contendo várias sementes de iodo-125 na parede do olho, perto do tumor. Permanece lá por 4 a 5 dias. O médico monitora cuidadosamente o tamanho do tumor.

A termoterapia transpupilar (TTT) é um tipo de terapia com laser infravermelho que usa calor na forma de um laser para encolher tumores menores.

A crioterapia pode congelar as células cancerígenas.

Outlook

O tratamento do melanoma ocular é eficaz se for detectado e tratado precocemente.

Segundo a American Cancer Society, se o câncer afeta apenas o olho, 80% das pessoas sobrevivem pelo menos 5 anos após o diagnóstico. Se o câncer se espalhou para outras partes do corpo, cerca de 15% viverão por pelo menos mais 5 anos.

Prevenção

Para reduzir o risco de câncer de pele e câncer de olho, a American Cancer Society recomenda o uso de proteção contra a luz solar forte, incluindo óculos de sol com proteção UVA e UVB, protetor solar e chapéu.

O sol e o trabalho ao ar livre não provaram causar câncer nos olhos, mas podem aumentar o risco.

Like this post? Please share to your friends: