Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: [email protected]

O que você precisa saber sobre cera de ouvido

A cera, ou cerume, é um material ceroso amarelado que é produzido pela glândula sebácea no canal auditivo dentro da orelha.

Ele lubrifica, limpa e protege o revestimento do canal auditivo, repelindo a água, retendo a sujeira e garantindo que insetos, fungos e bactérias não passem e prejudiquem o tímpano.

É ligeiramente ácido e tem propriedades antibacterianas. Sem cera, o canal auditivo ficaria extremamente seco, encharcado e infectado.

No entanto, quando a cera se torna dura ou se acumula, pode causar problemas.

A cera de ouvido consiste principalmente de camadas de pele derramadas. É 60 por cento queratina, entre 12 por cento e 20 por cento de ácidos graxos saturados e insaturados de cadeia longa, esqualeno e álcoois, e entre 6 por cento e 9 por cento de colesterol.

Sintomas de problemas de cerume

[vertigem]

Um acúmulo excessivo de cerúmen, especialmente quando é afetado, pode levar a uma orelha bloqueada. Um ouvido bloqueado pode afetar a audição e pode ser doloroso. Quando o acúmulo de cera endurece e bloqueia o canal auditivo, ele forma uma obstrução ou obstrução.

Uma orelha bloqueada devido a cera pode levar a:

  • Dor de ouvido
  • Infecção na orelha
  • Coceira
  • Zumbido nos ouvidos, conhecido como zumbido
  • Uma sensação de plenitude no ouvido
  • Vertigem, que é uma sensação de perda de equilíbrio
  • Tosse, devido à estimulação do nervo do interior da orelha quando a pressão na área é aumentada.

Acredita-se que a maioria das faltas do aparelho auditivo seja causada por um acúmulo excessivo de cera de ouvido.

Usar cotonetes ou outro objeto para remover um bloqueio de cera pode piorar a compactação.

Causas

O bloqueio ou impactação da cera ocorre com maior frequência em pessoas que produzem muita cera. A cera é empurrada profundamente dentro do canal auditivo.

O uso de itens como cotonetes, grampos, chaves ou cantos de guardanapos, para remover a cera ou aliviar a coceira no ouvido, pode piorar o acúmulo. Eles podem empurrar a cera mais profundamente no canal auditivo.

Os aparelhos auditivos e os tampões auriculares estimulam a acumulação de cera no interior do ouvido, evitando que caia naturalmente.

A natação pode fazer com que algumas pessoas produzam cerúmen adicional.

Fatores de risco

Algumas pessoas tendem a coletar mais cera nos ouvidos, incluindo:

  • Indivíduos cujos canais auditivos são estreitos ou não completamente formados
  • Pacientes com canais auditivos muito peludos
  • Pessoas com osteomata ou crescimento ósseo benigno na parte externa do canal auditivo
  • Pessoas com certas condições de pele, como eczema
  • Idosos, porque a cera tende a se tornar mais seca e mais dura com a idade, aumentando o risco de impactação
  • Pessoas com infecções auditivas recorrentes e cera afetada são mais propensas a acumular cera de ouvido
  • Pessoas com lúpus ou síndrome de Sjögren são mais suscetíveis.

Algumas pessoas com dificuldades de aprendizagem podem ter problemas de cerume, mas a razão é desconhecida.

Tratamento

Se um indivíduo tem problemas de cerúmen, não deve tentar remover a cera, mas procure orientação médica.

Um profissional médico examinará os ouvidos do paciente usando um auriscópio, também conhecido como otoscópio, para ver se há um acúmulo de cerume e se a cera do ouvido está impactada.

[enfermeira olhando no ouvido]

A cera normalmente cai por conta própria, e o tratamento só é necessário se a cera for afetada e o paciente apresentar sintomas desagradáveis ​​de dor ou perda auditiva. Nestes casos, um médico pode precisar removê-lo.

Existem várias maneiras de fazer isso.

Gotas para os ouvidos

Eardrops podem suavizar a cera, facilitando a remoção. Eardrops deve ser usado em temperatura ambiente. Dentro de alguns dias, a cera normalmente amolece e gradualmente sai por conta própria.

Eardrops não deve ser usado se uma pessoa tem um eardrum perfurado ou uma infecção ativa do ouvido.

Irrigação da orelha

Se os eardrops não funcionarem, o médico pode recomendar a irrigação. Irrigação significa lavar o ouvido aplicando um fluxo pressurizado de água no canal auditivo para desalojar e remover o bujão.

No passado, os médicos usavam uma seringa de metal para irrigar a orelha, e havia um pequeno risco de danos.

Agora, há irrigadores de ouvido eletrônicos que esguicham água, na temperatura do corpo, no canal auditivo em um fluxo cuidadosamente controlado. O controle de pressão garante que a pressão inicial seja a mais baixa possível. O ouvido pode ser mantido em ângulos diferentes para garantir que o líquido atinja todas as partes do canal auditivo.

Se a cera do ouvido for severamente impactada, o médico pode olhar para dentro da orelha com um auriscópio várias vezes durante o processo de irrigação.

A irrigação da orelha não é dolorosa, mas pode parecer estranho ter água esguichada no ouvido.

Dependendo dos sintomas, o médico pode investigar mais para verificar se há uma infecção.

Se a irrigação não remover a cera, o paciente pode precisar continuar a amolecer a cera com gotas e depois repetir a irrigação. A água pode ser colocada no ouvido por cerca de 15 minutos antes de irrigar.

Se isso não funcionar, o paciente pode ser encaminhado a um especialista em ouvido, nariz e garganta (ENT).

Quando a irrigação não é adequada?

Nos seguintes casos, a irrigação da orelha pode não ser recomendada:

  • Se o paciente foi submetido a cirurgia de orelha nos últimos 12 meses
  • Se uma criança tem um tubo de ventilação, às vezes conhecido como “ilhós”, um pequeno tubo que é inserido para permitir a ventilação do ouvido médio
  • Se o canal auditivo estiver bloqueado com algum outro corpo estranho
  • Se o paciente tiver ou já teve fenda palatina
  • Se o paciente tiver um tímpano perfurado ou tiver tido um nos últimos 12 meses
  • Se o paciente tiver, ou tiver tido recentemente, otite externa ou uma infecção do ouvido médio
  • Se houver uma descarga de muco da orelha, pois isso pode indicar uma perfuração não diagnosticada.

Se um procedimento anterior de irrigação estiver ligado a problemas, como vertigens ou dores graves, o paciente não deve ser submetido a irrigação.

Remoção manual

Se a irrigação ainda não for bem-sucedida ou não for possível, o médico pode recomendar a micro-remoção ou a remoção manual.

A micro-produção usa um pequeno instrumento para sugar a cera do ouvido.

A remoção manual pode envolver o uso de um instrumento fino com um pequeno arco no final para limpar a orelha e raspar qualquer cera de ouvido. Outros instrumentos usados ​​para esse procedimento incluem curetas, colheres e ganchos. Um microscópio especial também é necessário para que o médico possa ver o que está acontecendo.

Se uma pessoa ainda tem problemas de audição ou zumbido após a remoção do ouvido, um teste para perda auditiva pode ser realizado, para verificar se há outros problemas.

Orelha não é aconselhável

Os médicos expressaram preocupação com uma terapia alternativa para cera de ouvido, conhecida como “auricula”, “auricular” ou “terapia termo-auricular”.

Envolve colocar uma vela oca no ouvido do paciente, acendendo o final, queimando por cerca de 15 minutos e, em seguida, retirando a vela.

No toco da vela, haverá uma substância que parece cerúmen, mas não há evidências de que seja cera de ouvido.

Estudos avaliando esta prática mostraram que ela não remove cerume. Complicações foram relatadas, incluindo cera de vela no ouvido, queimaduras, obstruções das orelhas e ruptura do tímpano.

Complicações

Infecção do ouvido pode ocorrer se a cera afetada não for tratada. Muito raramente, a infecção pode se espalhar para a base do crânio, causando meningite ou paralisia craniana.

A vertigem é possível se a cera do ouvido empurrar contra o tímpano ou a membrana timpânica. Isso pode causar náuseas e uma sensação de movimento quando a pessoa não está se movendo.

Like this post? Please share to your friends: