Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: [email protected]

O que saber sobre evitar a depressão

A depressão é uma condição médica comum e séria que afeta como as pessoas se sentem e agem. A doença pode levar a problemas emocionais e físicos e pode causar problemas em todos os aspectos da vida de uma pessoa.

Muitas pessoas tomam medicamentos, como os antidepressivos, para tratar a depressão, mas há uma variedade de métodos naturais disponíveis que funcionam e reduzem o risco de episódios futuros.

A depressão é o tipo mais comum de doença mental. A Associação Americana de Psiquiatria estima que a depressão afeta cerca de 1 em 15 adultos a cada ano e que 1 em cada 6 pessoas experimentará depressão em algum momento da vida.

Embora a depressão possa afetar qualquer pessoa, ela geralmente ocorre pela primeira vez quando a pessoa está na adolescência ou na faixa dos 20 anos. As mulheres são mais propensas que os homens a ter depressão.

Fatos rápidos sobre como evitar a depressão:

  • Uma dieta adequada é essencial para a saúde física e mental.
  • Pessoas com depressão muitas vezes têm gatilhos que podem piorar sua condição.
  • Muitas técnicas naturais e mudanças no estilo de vida podem ajudar a controlar a depressão.

1. Evite o estresse

Como evitar a depressão

Lá é considerado uma relação entre estresse na vida de uma pessoa e depressão ou ansiedade.

Um estudo realizado em 2012 com estudantes de veterinária descobriu que o estresse teve um impacto negativo na saúde mental, na satisfação com a vida e na saúde geral.

Uma variedade de fatores, incluindo trabalho, educação, vida familiar ou relacionamentos, pode causar estresse. É importante tentar gerenciar e abordar essas situações estressantes quando elas surgirem.

2. Exercício

Exercício oferece uma gama de benefícios para a saúde, incluindo ajudar a prevenir a depressão. Ambos os exercícios de alta intensidade e baixa intensidade são benéficos a esse respeito.

O exercício de alta intensidade libera os produtos químicos para o bem-estar, conhecidos como endorfinas, no corpo.

Exercícios de baixa intensidade sustentados por um período prolongado ajudam a liberar proteínas chamadas fatores neurotróficos, que melhoram a função cerebral e fazem a pessoa que está se exercitando se sentir melhor.

Muitas pessoas que estão deprimidas têm baixa motivação para o exercício, por isso é uma boa ideia começar com 5 minutos de caminhada ou fazer uma atividade agradável e aumentar gradualmente o tempo nos próximos dias, semanas e meses.

3. Dieta

uma seleção de frutas e legumes

O cérebro precisa da mistura certa de nutrientes para funcionar corretamente.

A British Dietetic Association (BDA) descreve algumas mudanças na dieta que as pessoas com depressão podem ajudar a prevenir recaídas:

  • comer gorduras insaturadas cozinhando com azeite ou óleo de grainha de uva e adicionando nozes e sementes às refeições
  • evitando gorduras trans encontradas em carnes processadas, refeições prontas, biscoitos e bolos
  • comer mais grãos integrais, frutas e legumes
  • comer proteína com triptofano, encontrado em peixes, aves, ovos e espinafre
  • comer peixe oleoso contendo ômega-3 ou tomar suplementos de ômega-3 pelo menos duas vezes por semana
  • Beber 6 a 8 copos de água por dia
  • evitando bebidas com cafeína, como café e refrigerante

4. Sono

Não dormir o suficiente tem um impacto significativo nas pessoas psicologicamente e fisicamente, e a insônia está associada à depressão.

A depressão também pode causar insônia, mas existem técnicas que as pessoas podem tentar para dormir mais naturalmente. Esses incluem:

  • criando uma rotina de dormir
  • evitando usar equipamentos eletrônicos antes de ir para a cama
  • passar 30 minutos fazendo um exercício de relaxamento ou lendo um livro antes de tentar dormir.
  • indo para um local tranquilo e fazendo mais exercícios de relaxamento se ainda estiver lutando para dormir
  • praticando exercícios respiratórios ao inspirar lentamente pelo nariz e pela boca, seguindo o constante aumento e queda do abdômen

5. Evite álcool e drogas

Existe uma ligação estreita entre depressão, transtornos de ansiedade e transtornos relacionados ao uso de álcool ou outras substâncias.

A Associação de Ansiedade e Depressão da América estima que cerca de 20% das pessoas que sofrem de depressão também têm um distúrbio de álcool ou drogas.

Para a maioria das pessoas, o consumo moderado de álcool não é um problema, mas para pessoas com depressão, uso de álcool ou drogas pode piorar seus sintomas.

Pode ser um ciclo vicioso, mas enquanto muitas pessoas tomam medicamentos, existem técnicas naturais disponíveis que podem ajudar a lidar com ambos os transtornos ao mesmo tempo.

Por exemplo, a terapia cognitivo-comportamental (TCC), que busca maneiras de mudar os padrões de pensamento, é frequentemente útil. Muitas pessoas vêem benefícios após 12 a 16 semanas de terapia.

6. Tente falar terapia

terapia e aconselhamento podem ajudar, abordando a causa raiz do efeito plano

A TCC é uma forma eficaz em que a fala é usada para ajudar pessoas com depressão e, em muitos casos, é mais eficaz do que a medicação.

No entanto, a TCC não é o único tipo de terapia de fala. Um médico ou psiquiatra pode ajudar a identificar que tipo de terapia pode ser mais benéfica para um indivíduo diagnosticado com depressão.

Muitas vezes as pessoas acham mais fácil falar com um estranho treinado, como um conselheiro ou terapeuta, do que conversando com familiares e amigos.

Pode ajudar a pessoa a falar sobre os sintomas de maneira diferente e identificar maneiras de lidar com eles.

A terapia falante geralmente está em uma situação individual, mas também há grupos de apoio que outras pessoas acham eficazes.

7. Evite gatilhos comuns

Tanto quanto possível, uma pessoa deve evitar os gatilhos associados ao aparecimento de seus sintomas depressivos.

Isso, obviamente, nem sempre é simples e, em alguns casos, pode ser impossível. Por exemplo, se uma determinada pessoa ou grupo de pessoas for um gatilho, o indivíduo terá que pesar as vantagens e desvantagens de evitá-las.

Um trabalho pode ser um gatilho, mas deixar um emprego nem sempre é possível.Qualquer decisão que mude a vida, como essas, precisa ser cuidadosamente pensada.

No entanto, o mais importante é que o indivíduo identifique o que desencadeia sua depressão e trabalhe em direção a uma maneira de administrá-lo e evitá-lo o máximo possível.

Like this post? Please share to your friends: