Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: [email protected]

O que há para saber sobre a encefalite japonesa?

A encefalite japonesa é uma infecção viral transmitida por mosquitos. É a principal causa de encefalite viral na Ásia. Os humanos podem pegar a doença quando são picados por um mosquito que carrega o vírus.

O vírus da encefalite japonesa não pode ser transmitido de uma pessoa para outra.

O vírus da encefalite japonesa (JEV) está relacionado aos vírus da encefalite de St. Louis e da encefalite de Murray Valley, ao vírus do Nilo Ocidental e à dengue e febre amarela.

A encefalite é uma inflamação do cérebro que pode causar febre, dor de cabeça, confusão, convulsões e, em alguns casos, morte.

Menos de 1% das pessoas infectadas com o vírus desenvolvem sintomas. No entanto, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é fatal para 30 por cento daqueles que desenvolvem sintomas.

Estima-se que o número de mortes por encefalite japonesa seja entre 13.600 e 20.400 por ano.

O que é encefalite japonesa?

A encefalite japonesa é um vírus da família dos flavivírus. É transmitido pelo mosquito.

[mosquito]

Não só os seres humanos são afetados pelo vírus. Os mosquitos também podem infectar cavalos e porcos, levando à encefalite em cavalos e ao aborto em porcos.

As aves selvagens são provavelmente os hospedeiros naturais e os mosquitos são os vetores. Um vetor não causa uma doença, mas o transmite.

Quando os mosquitos infectam um animal, o animal pode se tornar um portador do vírus. Quando outros mosquitos se alimentam desses animais recém-infectados, eles pegam o vírus e podem infectar outros animais ou humanos.

As pessoas nas áreas rurais onde o vírus é comum estão em maior risco. A encefalite japonesa geralmente não acontece em cidades e vilas.

É mais provável que afecte as crianças, porque os adultos em áreas endémicas geralmente ficam imunes à medida que envelhecem.

Onde é encontrado?

A encefalite japonesa é mais comum no Japão, mas acredita-se que seja generalizada em todo o Sudeste Asiático.

China, Coréia, Japão, Taiwan e Tailândia tiveram surtos no passado, mas controlaram a doença principalmente por meio da vacinação. Vietnã, Camboja, Mianmar, Índia, Nepal e Malásia ainda experimentam epidemias ocasionalmente.

Houve casos no norte da Austrália, mas na Austrália continental, o risco é considerado baixo.

Nos Estados Unidos, alguns casos de infecção foram relatados em pessoas que viajaram para lugares onde a doença existe.

No geral, a chance de contrair a encefalite japonesa durante a viagem na Ásia é extremamente baixa, mas depende da estação do ano, onde a pessoa está viajando, por quanto tempo e o que estará fazendo.

O risco é maior durante a temporada de transmissão, mas isso varia de lugar para lugar.

  • Nas regiões temperadas, a transmissão é maior durante o verão e início do outono, aproximadamente de maio a setembro.
  • Em áreas subtropicais e tropicais, a estação depende da precipitação e padrões de migração das aves.
  • Em algumas áreas tropicais, a transmissão pode ocorrer em qualquer época do ano, dependendo em parte das práticas agrícolas.

É mais comum em áreas onde o arroz é cultivado e menos provável em áreas urbanas.

Sintomas

Uma pessoa com encefalite japonesa provavelmente não apresentará sintomas, mas se houver sintomas, eles aparecerão 5 a 15 dias após a infecção.

Uma pessoa com uma infecção leve pode ter apenas febre e dor de cabeça, mas em casos mais graves, os sintomas podem se desenvolver rapidamente.

Pode haver dor de cabeça, febre alta, tremores, náuseas, vômitos, rigidez do pescoço e paralisia espástica. Sinais de estado mental alterado incluem estupor, desorientação e coma. As crianças podem ter convulsões. Pode haver inchaço dos testículos.

Se o cérebro estiver envolvido, defeitos neurológicos por toda a vida podem resultar, como surdez, emoções incontroláveis ​​e fraqueza em um lado do corpo.

A chance de sobrevivência varia, mas as crianças correm maior risco.

Transmissão

Os mosquitos são infectados alimentando-se de aves selvagens e porcos domésticos que foram infectados com o vírus.

Os mosquitos então passam o vírus para humanos e animais. Aves e outros animais não podem transmitir a infecção para seres humanos. Apenas mosquitos infectados podem transmiti-lo.

Os mosquitos vivem principalmente em áreas agrícolas e rurais. Suas larvas se reproduzem em poças de água, por exemplo, campos de arroz inundados.

Diagnóstico

Para diagnosticar a encefalite japonesa, o médico levará em conta os sintomas do paciente, onde moram e em qualquer lugar que estiver visitando. Isso pode ajudar a determinar a probabilidade de ter a doença.

Se um médico suspeitar de encefalite, o paciente será submetido a exames como tomografia computadorizada (TC) ou imagem de ressonância magnética (RM) do cérebro.

Uma punção lombar ou punção lombar pode ser usada para retirar líquido da coluna. Os resultados podem mostrar qual vírus está causando a encefalite.

Testes de imunofluorescência podem detectar anticorpos humanos. Os anticorpos aparecem depois de serem marcados com um produto químico fluorescente.

Tratamento e prevenção

Não há tratamento ou cura para a encefalite japonesa, mas existe uma vacina segura e eficaz que pode prevenir a infecção.

[repelente de insetos]

A vacina é recomendada para pessoas que viajam para áreas onde a doença é endêmica, para pessoas em viagens de curta duração com duração inferior a um mês, para pessoas que visitam áreas onde há surtos e para aqueles que participam de atividades ao ar livre.

Quando uma pessoa tem a doença, o tratamento só pode aliviar os sintomas. Os antibióticos não são eficazes contra vírus e não foram descobertos fármacos anti-virais eficazes.

Pessoas que passam o tempo ao ar livre em áreas rurais devem usar roupas de proteção, mosquiteiros e repelentes, e devem dormir em quartos com ar-condicionado ou bem protegidos.

Uma pessoa que é nova em uma área de prevalência não costuma ter uma imunidade natural ao vírus da encefalite japonesa.

Isso significa que os viajantes de todas as idades são mais vulneráveis ​​à infecção do que aqueles que sempre viveram em uma área onde a doença é encontrada.

No caso de um surto, as pessoas que vivem em comunidades afetadas devem remover poças de água parada, onde os mosquitos podem se reproduzir, e devem usar um repelente de insetos. Os repelentes de insetos mais eficazes contêm uma substância química chamada DEET.

Like this post? Please share to your friends: