Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

Existe uma ligação entre o transtorno bipolar e a mentira?

O transtorno bipolar é uma doença mental marcada por ciclos de mania e depressão. Além de alterações de humor, uma pessoa com essa condição pode exibir uma série de outros comportamentos incomuns.

Pessoas com transtorno bipolar e seus entes queridos, por vezes, relatam que a condição implica uma maior tendência para contar mentiras.

Enquanto mentir não é um sintoma diagnóstico do transtorno bipolar, evidências sugerem que a condição pode tornar as pessoas mais propensas a mentir.

Fatos rápidos sobre transtorno bipolar

  • A prevalência ao longo da vida do transtorno bipolar nos Estados Unidos é estimada em 3,9% da população
  • Afeta 5,9% das pessoas de 18 a 29 anos
  • A idade média de início é de 25 anos.

Transtorno bipolar e mentir: existe um link?

Não há prova clínica de que o transtorno bipolar aumenta a frequência de mentir. Uma tendência a fazê-lo é comumente relatada por pessoas com o transtorno e suas famílias, no entanto.

Se esta tendência existe, ela pode estar ligada a características de mania, como distúrbios de memória, fala e pensamento rápidos, impulsividade e uma tendência a fazer escolhas destrutivas de comportamento.

Durante um estado maníaco, diz Madelyn Heslet, que compartilha sua experiência em um site comunitário, “qualquer pensamento saudável ou realista sai pela janela”.

Efeitos da mania

Heslet continua listando 10 áreas que ela aprendeu a conhecer. Ela chama isso de “as mentiras que minha mania diz para tentar me causar problemas”.

[máscara bipolar]

Eles incluem alucinações. A pessoa pode ver, ouvir ou cheirar coisas que os outros não sentem. As percepções podem parecer reais para a pessoa que as está experimentando.

Um episódio maníaco pode envolver delírios de grandeza. A pessoa pode realmente acreditar que é alguém importante ou que tem amigos em lugares altos.

A mania convence Heslet, diz ela, que é aceitável reagir exageradamente quando chateado, ficar excessivamente irritado e dizer coisas ofensivas e maliciosas.

Heslet observa que alguém de humor maníaco pode acreditar que eles são imunes a ferimentos ou danos. Isso pode levar a um comportamento impulsivo ou perigoso, como experiências sexuais imprudentes ou uma farra de compras descontrolada.

Esse tipo de atividade pode levar a pessoa a problemas. Qualquer pessoa que esteja com problemas, tenha ou não um transtorno bipolar, pode ser tentada a mentir para encobrir seus erros, ou para convencer a si mesmos ou aos outros de que não fizeram nada de errado. O transtorno bipolar pode simplesmente aumentar a chance de uma pessoa estar nessa situação.

Tendências aditivas também são mais comuns entre pessoas com transtorno bipolar. Uma pesquisa nacional nos EUA constatou que mais da metade das pessoas com a doença havia experimentado dependência de drogas ou álcool em algum momento. O vício pode alimentar uma tendência a mentir.

A necessidade de autopreservação, combinada com o desejo de excitação e a crença de que não se pode ser prejudicado, pode se combinar para aumentar o risco de mentir.

A blogueira Susan P, escrevendo no site da International Bipolar Foundation, sugere que pode haver “alguma emoção dentro de que nossa mentira é acreditada”. Susan P também observa que, embora tenha mentido “para se manter viva”, ela também perdeu amigos e familiares no processo.

Uma percepção diferente?

Uma pessoa com transtorno bipolar pode experimentar o mundo de forma diferente das outras pessoas. O blogueiro, Gabe Howard, escrevendo no site do BPHope, observa que as pessoas com transtorno bipolar podem mentir para “se encaixar”, porque expressar suas verdadeiras emoções faz com que pareçam estranhas para os outros.

Expressar seus verdadeiros sentimentos, diz Howard, pode levar a críticas de que eles estão fingindo, sendo excessivamente dramáticos ou buscando atenção. Quando os sentidos são intensificados, a vida é experimentada de maneira mais acentuada. O que parece ser mentira pode não ser mentira para a pessoa que lhes diz.

Quando uma pessoa com transtorno bipolar regularmente exagera suas histórias, pode ser que seja assim que elas se lembram delas.

A tendência para a fala rápida durante uma fase maníaca também pode fazer uma afirmação parecer uma mentira. Quando a pessoa continua “dizendo coisas” sem pensar, elas podem não se lembrar mais tarde do que disseram.

Uma pessoa com transtorno bipolar pode mentir, ou parecer mentir sobre sua condição, seja para evitar o estigma associado à doença mental ou porque realmente acredita que não há nada errado com ela. Isso pode tornar o tratamento um desafio.

Pessoas com a condição são muito mais propensas a visitar um médico quando elas estão baixas. Isso ocorre porque durante uma fase maníaca, eles não percebem um problema. Se a mania envolve alucinações ou delírios, isso também pode parecer uma mentira para outra pessoa.

Efeitos nos relacionamentos

Quando uma pessoa com transtorno bipolar conta mentiras, não está necessariamente tentando enganar as pessoas.

Entretanto, mentiras podem fazer com que familiares, amigos e colegas vejam a pessoa como intencionalmente enganosa. A desconfiança pode prejudicar os relacionamentos e dificultar o impacto dos cuidados de qualidade. Esses efeitos podem ter um impacto de longo prazo na qualidade de vida de uma pessoa com a doença.

O aconselhamento e a conscientização podem ajudar a família e os amigos a sentir empatia, à medida que entendem a ligação entre os sintomas e as mentiras ou as mentiras percebidas.

Aconselhamento ao paciente, terapia cognitivo-comportamental (TCC) e medicamentos como antipsicóticos ou antidepressivos podem ajudar a controlar o transtorno e, com ele, as mentiras ou mentiras percebidas. Qualquer tratamento deve ser feito sob a orientação de um médico.

Sobre transtorno bipolar

[homem com máscara bipolar]

O transtorno bipolar acontece porque uma função cerebral defeituosa causa mudanças abruptas no humor. Outros sintomas incluem distúrbios do sono e alguns problemas com o pensamento.

Ao contrário das mudanças de humor habituais que todos experimentam, as mudanças dramáticas envolvidas no transtorno bipolar podem variar de mania severa com sintomas psicóticos até pensamentos suicidas.

O comprimento, a gravidade e a frequência de cada ciclo dependem do indivíduo. Algumas pessoas podem passar semanas, meses ou até anos em um nível baixo ou alto. Outros podem experimentar várias oscilações em um dia.

Os sintomas tendem a aparecer no final da adolescência ou no início da vida adulta, mas podem surgir durante a infância ou no final da idade adulta.

A causa permanece desconhecida, mas fatores genéticos parecem desempenhar um papel.

Sintomas

Uma gama de sintomas está relacionada ao diagnóstico de transtorno bipolar.

Quando uma pessoa tem um episódio maníaco, eles podem:

  • Sinta-se muito “alto” ou “alto”
  • Sinta-se “nervoso” ou “com fio”
  • Tem problemas para dormir
  • Seja excessivamente ativo
  • Acredite que eles podem fazer qualquer coisa, e que eles podem fazer muitas coisas ao mesmo tempo
  • Faça coisas imprudentes, como gastar dinheiro, dirigir rápido ou ser infiel ao parceiro
  • Seja irritável ou agitado.

Durante um episódio depressivo, eles podem:

  • Sinta-se “triste” ou triste
  • Durma muito ou pouco
  • Sinta que eles não podem desfrutar de nada
  • Tem dificuldade em se concentrar
  • Coma muito ou pouco
  • Acredite que um desastre está se aproximando ou que eles cometeram um crime
  • Tem pensamentos suicidas.

Durante uma fase maníaca, o indivíduo pode sentir que seus pensamentos estão correndo muito rápido. Eles podem falar muito rapidamente sobre muitas coisas diferentes, saltando de um tópico para o outro de maneira desarticulada.

Eles também podem experimentar delírios ou acreditar que são muito importantes ou poderosos. Eles podem ter um senso de direito, de estar “acima das regras”, ou acreditar que têm um relacionamento especial com os outros em posições de autoridade. Comportamento impulsivo e imprudente é comum.

Like this post? Please share to your friends: