Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

Como o álcool causa câncer?

Um novo estudo que analisou as células-tronco do sangue descobriu novos detalhes em torno dos mecanismos pelos quais o álcool aumenta o risco de desenvolver câncer.

Garrafas tinindo

O álcool é conhecido por aumentar o risco de pelo menos sete tipos de câncer. Estes são boca, garganta superior (faringe), câncer na caixa de voz (laringe), esôfago, mama, fígado e intestino.

Embora os elos sejam estabelecidos, exatamente como o álcool funciona para induzir malignidade não é tão bem compreendido. Vários mecanismos são pensados ​​para estar no trabalho.

A maioria dos estudos anteriores examinou apenas células em laboratório, observando as alterações após a exposição ao álcool (etanol).

Recentemente, pesquisadores do Laboratório de Biologia Molecular da MRC em Cambridge, Reino Unido, decidiram obter uma imagem mais clara da relação álcool-câncer usando animais inteiros.

Seu estudo, que foi financiado pelo Cancer Research U.K., foi publicado esta semana na revista.

Acetaldeído e células estaminais do sangue

A equipe forneceu etanol diluído aos camundongos e depois usou a análise de cromossomos e o sequenciamento de DNA para medir qualquer dano causado pelo acetaldeído, um produto químico produzido quando o álcool é processado. Eles concentraram sua atenção em um tipo específico de célula: células-tronco do sangue.

As células-tronco sanguíneas, encontradas no sangue e na medula óssea, são células sanguíneas imaturas que podem se desenvolver em qualquer tipo de célula sanguínea, incluindo glóbulos brancos, plaquetas e glóbulos vermelhos. É importante entender como o álcool danifica essas células, já que células-tronco defeituosas são conhecidas por causar câncer.

Como o álcool é decomposto no intestino, as bactérias o convertem em grandes quantidades de acetaldeído, um produto químico que já foi demonstrado que causa câncer em animais.

Após a análise, os pesquisadores descobriram que o acetaldeído poderia, de fato, danificar e romper o DNA nas células-tronco do sangue. Os cromossomos foram rearranjados e a sequência de DNA foi permanentemente alterada nas células-tronco.

Ketan Patel, autor do estudo, diz: “Alguns cânceres se desenvolvem devido a danos no DNA de células-tronco. Embora alguns danos ocorram por acaso, nossas descobertas sugerem que o consumo de álcool pode aumentar o risco desse dano.”

Mecanismos de autodefesa

Juntamente com novos insights sobre os danos que o etanol causa às células-tronco, os cientistas descobriram novas informações sobre os mecanismos de proteção empregados por nossos corpos em resposta ao álcool.

Enzimas chamadas aldeído desidrogenases (ALDHs) formam a primeira linha de defesa contra danos relacionados ao álcool. Os ALDs quebram o álcool em acetato, “que nossas células podem usar como fonte de energia”.

Milhões de pessoas – muitos asiáticos do leste, por exemplo – têm baixos níveis de ALDH ou cópias defeituosas das enzimas. Isso significa que o acetaldeído tóxico se acumula no corpo. Esses indivíduos experimentarão bochechas coradas e potencialmente se sentirão doentes.

Quando os pesquisadores investigaram ratos sem ALDH, eles descobriram que o álcool causou quatro vezes mais danos ao DNA quando comparado com os ratos que poderiam produzir ALDH.

Além da ALDH, o corpo possui uma série de outros mecanismos secundários que podem reparar vários tipos de danos no DNA. Mas esses mecanismos nem sempre funcionam; algumas pessoas têm mutações que as tornam ineficazes.

“Nosso estudo destaca que não ser capaz de processar o álcool de forma eficaz pode levar a um risco ainda maior de danos no DNA relacionados ao álcool e, portanto, certos tipos de câncer”.

Prof. Ketan Patel

“Mas”, continua ele, “é importante lembrar que os sistemas de liberação de álcool e reparo de DNA não são perfeitos e o álcool ainda pode causar câncer de diferentes maneiras, mesmo em pessoas cujos mecanismos de defesa estão intactos”.

O álcool é conhecido por causar câncer, e estudos como esse nos ajudam a entender por que e, eventualmente, ajudar a prevenir ou retardar o câncer relacionado ao álcool.

Como diz a Prof. Linda Bauld, da Cancer Research UK, “Esta pesquisa instigante destaca o dano que o álcool pode causar às nossas células, custando a algumas pessoas mais do que apenas uma ressaca”.

Like this post? Please share to your friends: