Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

Com medo de aranhas? Ser dito para ‘enfrentar seu medo’ pode não ajudar

Se simplesmente o pensamento de uma aranha faz sua pele rastejar, continue a ler. Uma equipe de pesquisadores do Reino Unido sugere uma nova estratégia que pode ajudar as pessoas a superar o medo das criaturas de oito patas.

[Uma mulher preocupada]

A estratégia é baseada em um modelo de comportamento chamado teoria do controle perceptual (PCT), que se concentra em incentivar um indivíduo a estar no controle de suas próprias experiências, a fim de lidar com as ameaças percebidas.

No novo estudo, os pesquisadores perguntaram aos participantes com um forte medo de que as aranhas participassem de uma intervenção baseada em PCT, na qual eles controlavam sua exposição a uma variedade de imagens de aranhas, em vez de serem orientadas a “enfrentar seu medo”. “

A equipe de pesquisa – incluindo o Dr. Warren Mansell, da Universidade de Manchester, no Reino Unido – descobriu que esses participantes tinham menos probabilidade de evitar aranhas no seu dia-a-dia após a intervenção.

O Dr. Mansell e colegas recentemente relataram suas descobertas no.

O medo de aranhas ou aracnofobia é a terceira fobia mais comum nos Estados Unidos, afetando mais de 30% da população.

Poucos de nós podem dizer que gostamos de aranhas, mas para pessoas com aracnofobia, estar perto delas pode desencadear sentimentos de intensa ansiedade. Nos casos mais graves, os indivíduos podem evitar sair de casa com medo de entrar em contato com uma aranha.

Terapia comportamental cognitiva (TCC) é um dos tratamentos mais comuns para aracnofobia, que se concentra em abordar os padrões de pensamento que podem estar alimentando a fobia.

A TCC para aracnofobia também pode envolver direcionar o paciente para “enfrentar o medo” e iniciar o contato com aranhas, embora a nova pesquisa do Dr. Mansell e colegas sugira que uma abordagem baseada em PCT possa ser mais eficaz.

“A teoria do controle perceptivo prevê que é vital para um cliente ter controle sobre sua experiência de elementos importantes do ambiente, como as fontes de ameaça, porque o controle em si é essencial para a saúde e o bem-estar”, diz o Dr. Mansell.

Intervenção baseada em PCT impulsionou a disposição para exposição a aranhas

Os pesquisadores testaram a teoria PCT em 96 adultos de uma idade média de 22 anos que tinham medo de aranhas. Um nível clínico de fobia foi identificado em 28 por cento dos indivíduos.

Alguns participantes envolveram-se em um experimento baseado em PCT, segundo o qual os participantes informavam que podiam mover imagens de computador de aranhas para mais perto ou para longe usando um joystick. Outros participantes – os controles – foram instruídos sobre a maneira de mover o joystick.

A equipe descobriu que os participantes que completaram a tarefa baseada em PCT estavam dispostos a se aproximar de uma verdadeira aranha após o experimento, em comparação com aqueles no grupo de controle.

Além disso, durante as duas semanas seguintes, os participantes que participaram do experimento baseado em PCT relataram menor evitação de aranhas em suas vidas cotidianas, em comparação com os controles.

Mansell acredita que os resultados sugerem que os terapeutas podem não precisar encorajar os pacientes com fobias a enfrentar seus medos.

“Uma vez que as pessoas tenham consciência de seus motivos mistos, elas podem fazer escolhas que resolvam seus medos com bastante naturalidade. No futuro, precisamos ver se esse tipo de intervenção simples pode fazer uma diferença duradoura nas aflições e disrupções que as fobias podem ter na vida das pessoas”. “

Dr. Warren Mansell

Saiba como as pessoas com aracnofobia podem superestimar o tamanho das aranhas.

Like this post? Please share to your friends: