Caros utilizadores! Todos os materiais neste site são traduções de outros idiomas. Pedimos desculpas pela qualidade dos textos, mas esperamos que venham a tirar partido deles. Com os melhores cumprimentos, A administração do site. E-mail: admin@ptmedbook.com

Carnes curadas podem agravar os sintomas da asma

De acordo com um estudo recente, indivíduos com asma que consomem quantidades relativamente altas de carnes curadas, como presunto, linguiça e salame, têm maior probabilidade de apresentar piora dos sintomas.

[Carnes curadas deliciosas]

As carnes curadas são o último pária da dieta – e por boas razões. Nos últimos anos, os estudos acumularam uma lista assustadora de seus efeitos deletérios sobre a saúde e a longevidade.

De fato, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou recentemente que são cancerígenas.

Não apenas as carnes curadas aumentam o risco de câncer, elas também aumentam o risco de doença coronariana e diabetes tipo 2.

No que diz respeito à saúde dos pulmões, o tema sombrio continua. O aumento do consumo de salame e de outras carnes tem sido associado ao câncer de pulmão, à diminuição da função pulmonar e ao aumento dos sintomas e da incidência de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Um estudo recente, publicado na revista, procurou identificar se o consumo de carne curada também teve um impacto negativo na asma. Até o momento, apenas dois estudos analisaram especificamente essa interação e ambos não encontraram nenhum efeito.

O grupo reabriu a investigação sobre asma e carnes curadas, bem como começou a entender o papel da obesidade no agravamento dos sintomas da asma.

Por que as carnes curadas danificariam os pulmões?

Os pesquisadores acreditam que existem pelo menos dois caminhos pelos quais as carnes curadas danificam os tecidos do corpo. Em primeiro lugar, eles são ricos em nitritos, o que pode levar ao estresse nitrosativo e ao estresse oxidativo, que danificam as células.

Em segundo lugar, existe uma relação entre o consumo de carnes curadas e o aumento dos níveis de proteína C-reativa, um ator importante no sistema imunológico. A proteína C-reativa pode induzir inflamação, resultando em dano tecidual ao longo do tempo.

Tomando dados do estudo epidemiológico francês sobre Genética e Ambiente da Asma (EGEA), foram utilizados 971 participantes adultos. A EGEA acompanhou pacientes com asma usando questionários e exames médicos por mais de 20 anos.

Dados sobre dieta, peso e sintomas de asma foram coletados. Informações demográficas e outros fatores relacionados ao estilo de vida também foram coletados, como nível de exercício, tabagismo, sexo, idade e escolaridade.

Em média, os participantes comem 2,5 porções de carne curada por semana. Aqueles que comiam uma ou menos por semana eram classificados como consumidores baixos, pessoas que consumiam de uma a quatro porções semanais eram classificadas como médias e classificadas como altas se consumissem mais de quatro.

Os dados iniciais foram coletados entre 2003 e 2007, e um acompanhamento foi realizado entre 2011 e 2013. No geral, a asma piorou em 20% do grupo, melhorou em 27% e não observou mudança nos 53% restantes.

Carnes curadas e asma

Quando a ingestão de carne curada foi examinada, os pesquisadores descobriram que 14 por cento dos consumidores de baixa renda, 20 por cento dos consumidores médios e 22 por cento dos consumidores de alta tinham piorado os sintomas.

Uma vez que outros fatores foram controlados – tabagismo, atividade física regular, idade, sexo e escolaridade – aqueles que consumiram as carnes mais curadas tiveram 76% mais chances de ter piorado os sintomas de asma do que aqueles que consumiram a menor quantidade de carnes curadas.

A equipe também estava interessada em entender melhor o papel da obesidade na asma. Estar acima do peso já foi associado a piores sintomas de asma, mas no presente estudo, o índice de massa corporal (IMC) foi responsável por apenas 14 por cento da piora dos sintomas. Isto sugere que o consumo de carnes curadas tem uma influência independente sobre a asma, acima e além do peso.

É importante notar que este é um estudo observacional, e as conclusões sobre causa e efeito não podem ser tiradas. Além disso, como os autores apontam, os resultados foram dependentes das memórias dos participantes. Além disso, os escores dos sintomas poderiam ter sido afetados pelo tabagismo ou pela DPOC, que compartilha muitos sintomas com asma.

Dito isto, outras pesquisas anteriores mostraram ligações entre carnes processadas e saúde pulmonar, de modo que o trabalho atual aumenta o peso da evidência.

Saiba como o álcool e as carnes processadas estão ligadas ao câncer de estômago.

Like this post? Please share to your friends: